Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Partido Democrático Unido, do Presidente Adama Barrow, vence legislativas na Gâmbia

O Partido Democrático Unido (UDP) saiu vitorioso das eleições legislativas de quinta-feira na Gâmbia obtendo 31 dos 53 assentos em competição por ocasião das primeiras eleições livres e transparentes há 22 anos.

Segundo os resultados definitivos anunciados sexta-feira pelo presidente da Comissão Eleitoral Independente gambiana (IEC), Alieu Momarr Njai, o Congresso Democrático Gambiano (GDC), ex-Aliança para a Reorientação Patriótica e a Construção (APRC, ex-partido no poder) e o Partido da Reconciliação Nacional (NRP) obtiveram cinco assentos cada.

A Organização Popular Democrática para a Independência e Socialismo (PDOIS) venceu quatro assentos, o Partido Popular para o Progresso (PPP) ganhou dois assentos. Também foi eleito um candidato independente nestas legislativas.

Segundo a Constituição gambiana, o Presidente vai nomear cinco pessoas que vão juntar-se aos 53 deputados eleitos, devendo estes por sua vez eleger um presidente e um vice-presidente do Parlamento entre as cinco altamente nomeadas. Os deputados são eleitos para um mandato de cinco anos.

A APRC do ex-Presidente Yahya Jammeh, exilado na Guiné-Equatorial em Janeiro último, era até então maioritária no Parlamento com 43 assentos depois da oposição ter boicotado o escrutínio de 2012.

O actual Presidente gambiano, Adama Barrow, dirigia naltura a UDP, mas deixou este partido depois de ser tornar no candidato da coligação da oposição que venceu as eleições presidenciais em dezembro último.

Esta vitória da UDP, que boicotara as eleições legislativas de 1997 e de 2012, vai dar ao Presidente Barrow a oportunidade de proceder às emendas necessárias da Constituição gambiana e às mudanças noutros sectores depois de 22 anos do regime ditatorial de Jammeh.

Oitocentos e oitenta e seis mil e 578 eleitores inscritos deviam participar neste escrutínio mas a taxa de participação só foi de 42 porcento. Havia 238 candidatos que representavam nove partidos políticos, bem como candidatos independentes e o escrutínio decorreu em mil e 422 assembleias de votos.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!