Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Parque da Gorongosa recebe mais búfalos

O Parque Nacional da Gorongosa (PNG), no Centro de Moçambique, conta com mais 54 búfalos, doados pelo Kruger National Park (Africa do Sul). Trata-se de herbívoros de grande porte translocados da África do Sul, no âmbito de restauração da fauna bravia que ficou drasticamente reduzida, na sequência da acção predatória do último conflito armado terminado em 1992.

Os animais encontram-se no PNG desde o dia 21 de Setembro corrente. Os 54 animais, entre adultos e crias, de um lote de 100 búfalos a introduzir no ecossistema da “Grande Gorongosa” até Outubro próximo, é uma doação do Kruger National Park (Africa do Sul) anunciada há dois anos por seu então director, Bandadile Mkihze.

O beneficiário arcou apenas as despesas de captura e transporte, segundo o Departamento de Comunicação do PNG. Os mamíferos chegaram em três camiões com reboques e a respectiva descarga foi no “Boma”, no interior do Santuário de Fauna Bravia do PNG, para se recuperarem do stress e da desidratação em consequência de 2 dias de viagem. “O processo de avaliação do seu estado Sanitário teve inicio na África do Sul tendo os animais sido examinados e testados de acordo com os requisitos exigidos pela Direcção Nacional de Veterinária de Moçambique”, acrescenta o PNG.

Os animais permanecerão em observação por mais 15 dias, sendo depois libertados para a área de adaptação de 6.000 hectares. O Santuário de Fauna Bravia de proximamente 36 km quadrados, vedado com uma rede electrificada, protege os animais reintroduzidos dos seus predadores naturais e dos caçadores furtivos que continuam ainda muito activos no Parque. Para Carlos Lopes Pereira, director do Departamento de Conservação, a operação de translocaçaão “decorreu com sucesso”.

“O êxito deveu-se ao trabalho de equipa, grande capacidade de organização e coordenação entre o pessoal directa e indirectamente envolvido na operação, bem como da cooperação das autoridades aduaneiras da fronteira de Giriyondo e do Parque Nacional do Limpopo, na pessoa do respectivo administrador, Baldeu Chande”, sublinhou Carlos Pereira.

Apesar das péssimas condições de trânsito na região de Giriyondo apenas há a lamentar a perda de um vitelo que morreu esmagado pelos outros animais durante a viagem. No dia 23 do mês em curso foi realizada uma cerimónia tradicional pelo Régulo como mandam as regras culturais locais. “As preces de Maneca Luís Chicare ditas em Chisena, acompanhadas por palmas rítmicas dos presentes, serviam para dar a conhecer e pedir a protecção dos espíritos de ancestrais da região aos animais recém-chegados”, diz o Departamento de Comunicação do PNG, adiantando que também pediu aos “donos da terra” para darem bênção ao Parque com vista a repovoar-se até aos efectivos dos anos 70 no menor espaço de tempo possível.

Recorde-se que o PNG nos anos 70 contava com mais de 14 mil búfalos, mas na década de 90, após a guerra de desestabilização, esta população selvagem havia sido reduzida para apenas 60. No entanto, as projecções actuais indicam a existência de cerca de 300 animais como resultado da reprodução dos efectivos sobreviventes e das translocações da espécie, bem como da procriação dos animais introduzidos cujo primeiro grupo já vai na terceira geração. O Parque Nacional da Gorongosa situa-se na província Central de Sofala.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!