Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Parcerias público-privadas com USD 200 milhões para 2012/2014

O aumento dos níveis de competitividade empresarial moçambicana junto dos seus parceiros da África Austral deverá consumir entre 2012 e 2014 cerca de 200 milhões de dólares norte-americanos a serem desembolsados pelo Banco Africano de Desenvolvimento (BAD).

O valor vai também dinamizar a formação de parcerias entre o sector empresarial público e privado moçambicano, segundo Joseph Ribeiro, representante-residente do BAD em Moçambique, instituição que já recebeu o valor e garante o financiamento de 15 projectos relacionados com a dinamização dos níveis de competitividade empresarial e acções de formação de parcerias públicoprivadas, ao longo dos próximos três anos.

Segundo a explicação detalhada de Ribeiro, o propósito deste esforço é dotar o sector privado moçambicano da “pujança necessária” para passar também a envolver-se no desenvolvimento de projectos das áreas da agricultura, água e saneamento, reabilitação e/ou construção de estradas e montagem de postes de transporte de energia eléctrica em todos os pontos do país, “uma vez que até aqui estes projectos eram apenas realizados pelo sector público, ficando de fora o privado”, vincou o representante-residente do BAD, em entrevista ao Correio da manhã.

Ele acrescentou que as parcerias vão permitir produzir com qualidade necessária “para que o que é feito aqui em Moçambique seja aceite e concorra em pé de igualdade com o que é feito no resto dos países do mercado regional da África Austral”, realçou a fonte, lembrando que este mercado conta desde 2008 com a Zona do Comércio Livre da SADC.

Uma das atribuições desta zona é facilitar a penetração das mercadorias produzidas em cada um dos países membros da SADC e destes para o resto do mundo.

Refira-se que o Banco Africano de Desenvolvimento já aprovou uma carteira de financiamento orçada em cerca de 300 milhões de dólares norte-americanos para viabilização de vários programas de desenvolvimento socioeconómico de Moçambique durante o período 2012/2014.

Moçambique faz parte de um grupo restrito de países africanos que facilmente podem conseguir mais financiamentos do BAD devido à sua reconhecida “estabilidade macroeconómica e política atingida”, enfatizou o representante-residente daquela instituição financeira em Moçambique.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!