Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Pais de alunos no ensino à distância em Ribáuè de costas voltadas com a Educação

Os pais e encarregados de educação de 1.200 alunos da Escola Secundária da Frelimo, no distrito de Ribáuè, província de Nampula, cujos filhos foram convencidos pelas autoridades a frequentarem o ensino à distância devido à falta salas de aula, estão de costas voltadas com o governo local em virtude de os educandos não perceberem este sistema de instrução.

Os alunos em causa estão matriculados na 8ª, 9ª e 10ª classes. Segundo alguns pais, o grosso dos discentes são adolescentes que ainda não estão preparados para compreender as matérias ministradas através de módulos no ensino à distância. Tal facto, defendem os encarregados de educação, poderá comprometer o aproveitamento pedagógico dos seus filhos no presente ano lectivo ou levar a desistências.

Este ano, apenas 400 estudantes frequentam o ensino presencial em resultado da degradação da Escola Secundária da Frelimo, que albergavam maior número de educandos. Foi construída uma nova escola, mas com apenas 10 salas de aulas, o que não satisfaz à demanda pelos serviços de educação em Ribáuè.

Inconformados com o que consideram um tipo de ensino que dificulta a aprendizagem dos filhos, os pais e encarregados de educação apresentaram a inquietação às autoridades locais, tendo o assunto sido encaminhado ao administrador, que, por sua vez, disse que a solução do mesmo ultrapassa as capacidades do sector de educação localmente.

Emanuel Impissa, regedor de Ribáuè, disse ao @Verdade que a Direcção Provincial de Educação é que decidiu que a Escola Secundária da Frelimo – um dos estabelecimentos de ensino de referência em Nampula, pese embora tenha 10 salas de aulas – não devia ser usadas porque constituía um perigo aos utentes, mas não se previam as actuais consequências.

Para o nosso entrevistado, a queixa dos pais dos 1.200 alunos é legítima e enquanto não houver condições a situação vai prevalecer. Em breve vão arrancar as obras de reabilitação daquela infra-estrutura. “Não estamos contra o ensino à distância, mas enquanto não houver condições teremos de priorizar as aulas presenciais ”.

Aquela escola conta igualmente com um internato, oito residências para professores e funcionários, um ginásio multiuso, entre outros compartimentos.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!