Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Óscares sem surpresas consagram “O Discurso do Rei, Colin Firth e Natalie Portman

“O Discurso do Rei” prometia e cumpriu. A história da luta do rei Jorge VI de Inglaterra para vencer a gaguez, com a ajuda de um terapeuta fora do comum, convenceu os membros da Academia que o elegeram o melhor filme de 2010. O filme inglês estava nomeado para 12 prémios e venceu ainda nas categorias de melhor ator, argumento original e melhor realizador. Colin Firth, considerado pela crítica um dos melhores atores contemporâneos, vê assim consagrado o seu trabalho.

À primeira nomeação, Tom Hooper, conhecido essencialmente pelo seu trabalho em televisão, conquistou a estatueta de melhor realizador. A película valeu a David Seidler o prémio de melhor argumento original.

Natalie Portman venceu, sem surpresas, o Óscar de melhor atriz. A Academia reconheceu-lhe a prestação em “O Cisne Negro”, no qual representa uma bailarina obcecada em atingir a perfeição. Na hora dos agradecimentos, a atriz agradeceu ao companheiro por lhe “dar o papel mais importante da vida”, referindo-se ao fato de estar grávida.

Dois prémios para The Fighter – Último Round

Christian Bale também confirmou o favoritismo e venceu o Óscar de melhor ator secundário, pelo seu papel em The Fighter – Último Round. O mesmo filme deu a estatueta de melhor atriz secundária a Melissa Leo. A atriz norte-americana protagonizou o momento da noite ao dizer uma asneira durante o discurso de agradecimento.

No entanto, como a cerimónia tem uns segundos de atraso na transmissão os americanos não ouviram o palavrão. Aos jornalistas, Melissa Leo pediu desculpa pelo momento.

Nas categorias mais técnicas, “A Origem” ganhou quatro estatuetas: melhor fotografia, melhor edição de som, melhor mistura de som e melhores efeitos visuais. A criatividade da Pixar voltou a ser galardoada com a vitória de Toy Story 3, de Lee Unkrich, na categoria de melhor filme animado.

O Óscar de melhor curta-metragem animada foi para The Lost Thing, de Shaun Tan and Andrew Ruhemann.

Três prémios para “A Rede Social”

O prémio de melhor argumento adaptado foi ganho por Aaron Sorkin com o filme A Rede Social. O filme venceu ainda na categoria de melhor banda sonora, composta por Trent Reznor e Atticus Ross e melhor montagem.

Para a Dinamarca foi o Óscar de melhor filme estrangeiro com o filme In a Better World. Strangers No More venceu na categoria de melhor documentário em curta-metragem. O filme conta a história de crianças refugiadas de 48 países que, numa escola em Tel Aviv, aprendem a lidar com a diversidade.

Aparição de Obama

Oprah Winfrey subiu ao palco do Kodak Theatre para entregar o Óscar de melhor documentário a Charles Ferguson e Audrey Marrs pelo filme “Inside Job – A verdade da crise”. O filme expõe responsabilidades sobre a crise económica que começou em 2008. No momento da vitória, Charles Ferguson lembrou ainda não foram apuradas responsabilidades. “Perdoem-me, mas tenho que começar por dizer que três anos depois da horrível crise financeira, causada por fraudes fiscais, nem um executivo financeiro foi preso”, disse o realizador.

A melhor canção original é “We Belong Together”, do filme Toys Story3, da autoria de Randy Newman. A apresentação do prémio contou com uma aparição de Barack Obama, que surgiu num vox-pop sobre qual a melhor canção de sempre. O Presidente afirma que a sua favorita é “As time goes by” do filme “Casablanca”.

Este ano a Academia quis dar uma imagem mais jovem e colocou os James Franco e Anne Hathaway na apresentação da gala. Os dois atores abriram a gala com um vídeo humorístico, que fazia uma “viagem” por várias cenas de filmes nomeados.

Eis a lista dos vencedores da 83ª edição dos Óscares:

Melhor Filme – O Discurso do Rei

Melhor Realizador –  Tom Hooper com O Discurso do Rei

Melhor Actor –  Colin Firth em O Discurso do Rei

Melhor Actriz – Natalie Portman em Cisne Negro

Melhor Actor Secundário – Christian Bale em The Fighter – Último Round

Melhor Acrtiz Secundária – Melissa Leo em The Fighter – Último Round

Melhor Argumento Adaptado – Aaron Sorkin com A Rede Social

Melhor Argumento Original – David Seidler com O Discurso do Rei

Melhor Filme Estrangeiro – In a Better World (Dinamarca)

Melhor Canção –  We Belong Together de Randy Newman em Toy Story 3

Melhor Banda Sonora – Trent Reznor e Atticus Ross em A Rede Social

Melhor Documentário em Curta Metragem – Karen Goodman and Kirk Simon em Strangers No More

Melhor Documentário em Longa Metragem – Charles Ferguson e Audrey Marrs em Inside Job

Melhor Fotografia – Wally Pfister em A Origem

Melhor Guarda roupa – Colleen Atwood em Alice no País das Maravilhas

Melhor Filme Animado – Toy Story 3 de Lee Unkrich

Melhor Caracterização –  Rick Baker e Dave Elsey em The Wolfman

Melhor Efeitos Especiais –  Michael Owens, Bryan Grill, Stephan Trojansky and Joe Farrell em A Origem

Melhor Direcção Artística – Robert Stromberg e Karen O’Hara em Alice no País das Maravilhas

Melhor Curta Metragem –  Luke Matheny em God of Love

Melhor Curta Metragem Animada –  The Lost Thing, de Shaun Tan and Andrew Ruhemann

Melhor edição de Som –  Lora Hirschberg, Gary A. Rizzo and Ed Novick em A Origem

Melhor – Mistura de Som Richard King em A Origem

Melhor Montagem – Angus Wall and Kirk Baxter em A Rede Social

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!