Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Ordenada detenção do guarda da Princess Cinderella Kinbergarten And Primary School na Beira

Um indíviduo contratado para assumir as funções de guarda da Princess Cinderella Kinbergarten And Primary School, estabelecimento educacional vocacionado ao ensino à crianças da língua inglesa, localizado no Bairro das Palmeiras I, um dos mais nobres da Cidade da Beira, foi detido há dias pela Polícia da República de Moçambique (PRM), implicado no caso de Atentado ao Pudor, no qual constitui vitima principal uma criança de apenas três anos de idade matriculada naquela escola no início deste ano.

 

 

Segundo apurou O Autarca junto do Gabinete de Atendimento da Mulher e da Criança, na Ponta-Gêa, trata-se do cidadão nacional que responde pelo nome de Fazno Sargochepa Campos, 24 anos de idade, residente no Bairro do Macurungo, arredores da Cidade da Beira.

Segundo consta dos autos abertos naquele gabinete policial no dia 19 de Novembro de 2010, data também da sua detenção, Campos teria violado sexualmente o ânus do menor, além de ter obrigado a criança a chupar o seu pénis, acto alegadamente consumado numa casa de banho da escola onde o petiz frequentava e onde o ora arguido no caso prestava serviço de guarda. Consta ter sido o próprio menino quem denunciou para a mãe a prática criminal do guarda.

Além de ferimentos graves causados ao ânus da criança, a mãe afirma que desde do sucedido o menino não tem se sentido bem, ou seja, anda constantemente febril.

O menino foi encaminhado pela mãe ao Hospital Central da Beira onde depois de ter sido submetido a exames médicos foi confirmada a violação do ânus, tendo o respectivo atestado anexado a matéria dos autos para consubstanciar a denúncia.

Os pais da criança mostram-se profundamente revoltados com a escola, a sua direcção e sobretudo com o guarda pela atitude praticada, tendo decidido retirar imediatamente a criança de frequentar aquele estabelecimento de ensino bastante concorrido por gente da classe elitista na Cidade da Beira.

A Princess Cinderella Kinbergarten And Primary School, segundo soubemos, conta neste momento com cerca de duzentas crianças matriculadas.

Por cada criança matriculada na Princess Cinderella Kinbergarten And Primary School os pais e ou encarregados de educação pagam cem dólares ou o correspondente em meticais (3.700,00 Mts) por matrícula anual mais cem dólares de propinas mensais, totalizando mil e duzentos dólares por cada ano lectivo, o correspondente a 44.400 meticais ao cambio médio de 37,00 meticais.

O Autarca apurou que o sucedido naquela escola tida como sendo uma das mais prestigiadas na Cidade da Beira está a agitar muitos pais e encarregados de educação que não desejariam que os seus filhos e ou educandos tivessem a mesma sorte.

Contudo, não há ainda confirmação de outras desistências com excepção da retirada do menor que sofreu violação do ânus supostamente pelo guarda ora detido.

A direcção da própria escola, não obstante alegar que a violação do menino não pode ter acontecido nas instalações do estabelecimento de ensino, também manifesta preocupação, tendo a sua patrona, identificada por madame, de nacionalidade holandesa, residente na Cidade de Nampula, se deslocado esta semana à Cidade da Beira a fim de se reunir com os pais e encarregados de edução cujos filhos e ou educandos frequentam a escola.

O encontro, segundo apurámos, foi mais de sensibilização, consolo e recolha de sugestões para melhorar o atendimento da escola.

A directora da Princess Cinderella Kinbergarten And Primary School, apenas identificada por professora Glória, aparentemente de origem chinesa, disse ao nosso jornal que a escola possui três casas de banho para uso dos alunos, e não tem sido normal os guardas acompanharem as crianças aos sanitários.

Disse ainda que o guarda ora detido goza de bastante confiança por parte da direcção da escola. “O Senhor Campos sempre se revelou uma pessoa muito bem comportada.

É uma pessoa religiosa e nós confiamos na sua personalidade. Duvidamos que tenha sido ele a praticar tal acção” – afirmou a directora da Escola sem, no entanto, pretender ilibar o guarda do crime de que é acusado. Aliás disse que ela própria como mãe compreende a reacção dos pais do menor, tendo expressado a sua solidariedade.

O Advogado particular da Princess Cinderella Kinbergarten And Primary School, Pedro Abreu, explicou à nossa reportagem, entretanto, que uma vez o processo encontra-se ainda na sua fase de investigação não era aconselhável a escola avançar detalhes em torno deste caso, alegadamente para não influenciar a outra parte

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!