Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Milhões de pessoas morrerão se Índia parar de produzir antiretrovirais

Milhões de pessoas que dependem de medicamentos genéricos para o tratamento do HIV/SISA morrerão se a Índia deixar de produzi-los em decorrência de um acordo comercial com a União Europeia, alertou, terça-feira, o diretor do Unaids, programa da ONU para o combate à doença.

UE e Índia negoceiam actualmente um tratado de livre comércio que, segundo activistas, irá restringir a capacidade indiana de produzir medicamentos antiretrovirais genéricos, a preços reduzidos.

“A Índia deve resistir a retirar qualquer flexibilidade, porque qualquer acordo comercial que leve a Índia a não ser capaz de produzir será terrível para o resto do mundo”, disse Michel Sidibe, director-executivo do Unaids.

“Milhões de pessoas morrerão se a Índia não conseguir produzir, e a África será a mais afectada. Para mim, é uma questão de vida ou morte”, disse ele à Reuters, acrescentando que cerca de 86 por cento das pessoas em tratamento recebem medicamentos produzidos na Índia.

O acordo UE-Índia inclui medidas que podem retardar ou restringir a concorrência por parte dos medicamentos genéricos, ao prorrogar patentes, exigir exclusividade de dados e endurecer os controles alfandegários.

Tais condições podem causar um aumento no custo dos tratamentos com antirretrovirais indianos, limitar as opções de dosagem e retardar o acesso a medicamentos mais novos e melhores, segundo um relatório divulgado pela ONU em setembro do ano passado.

Na opinião de Sidibe, o acordo comercial iria reverter os avanços obtidos nos últimos anos para melhorar a vida de pacientes seropositivos em países pobres.

O malinês afirmou que os líderes africanos estão pedindo à Índia que dedique mais atenção aos riscos de qualquer acordo comercial que dificulte a produção de medicamentos genéricos.

“Não é um bolsão de pessoas ricas no mundo desenvolvido que será privado das drogas, serão os mais necessitados, os mais pobres.”

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!