Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Obras ao longo da EN1 em ritmo satisfatório

O Ministério moçambicano das Obras Públicas e Habitação (MOPH) considera que algumas das principais obras de reabilitação em curso ao longo dos vários troços da Estrada Nacional Número Um (EN1) decorrem a níveis “satisfatórios”. As obras ao longo da EN1 incluem os troços Jardim-Benfica, com um percurso de sete quilómetros, Xai-Xai-Chissibuca (96 quilómetros) e Massinga-Nhanchengue (59 quilómetros), no Sul do país.

Na região Centro destacam-se os troços Namacurra-Nampevo (Lote I- 152 quilómetros), Nampevo-Alto Molócuè (Lote II- 117 quilómetros), Vanduzi-Changara (155 quilómetros), Ruaça-Montepuez e Guruè- Magige (35 quilómetros). No Norte do país encontram-se os troços Cuamba-Nampula (348 quilómetros) e Macomia-Oasse (102 quilómetros), indica o relatório apresentado durante o XVIII Conselho Coordenador do MOPH que decorre na instância turística da Barragem dos Pequenos Libombos, distrito de Boane, província de Maputo, até a próxima sexta-feira.

O relatório, que faz o balanço do sector de estradas durante o primeiro semestre considera que as obras dos troços Xai-Xai- Chissibuca, Massinga-Nhanchengue, Nampevo-Alto Molócuè (Lote II), Vanduzi- Changara e Ruaça-Montepuez decorrem a níveis satisfatórios “As obras de Vanduzi-Changara estão realizadas em 98 por cento e está em curso a construção das ruas das vilas Vanduzi, Catandica e Guru, incluindo a sua sinalização vertical e horizontal”, refere o relatório. Segundo o documento, estão em falta as obras de drenagem superficial e de reparações localizadas.

O trabalho neste troço deverá estar concluído até finais do corrente mês. Refira-se que estas são as únicas obras na fase de conclusão, pois as restantes ainda estão ao meio da execução ou por iniciar. Por exemplo, as obras de reabilitação do troço Xai-Xai-Chissibuca, que iniciaram no primeiro semestre do ano passado, estão agora a um nível de realização de 45 por cento e 24 por cento do percurso abrangido já foi reaberto ao tráfego. Estes trabalhos, a cargo de empreiteiro chinês CHICO (China Henan International Coorporative Group-CO), deverão ser entregues ao Governo até finais de Janeiro do próximo ano, de acordo com o calendário inicial das obras.

No troço Massinga-Nhanchengue, o nível de realização das obras é de 23 por cento e 24 dos 96 quilómetros já estão abertos ao tráfego. Em relação ao troço Jardim-Benfica, o relatório indica a conclusão do processo de reassentamento das famílias abrangidas pelo projecto de reabilitação e alargamento da estrada. Neste momento, está em curso a construção da via alternativa que vai ligar a EN1 a avenida de Angola. Contudo, nem todas as obras estão a decorrer ao ritmo que seria de desejar. Por exemplo, nas obras do troço Nampevo-Alto Molócuè, as autoridades rescindiram o contrato com o primeiro empreiteiro devido ao seu fraco desempenho. De acordo com o relatório, as obras foram depois adjudicadas a um outro empreiteiro e agora “decorrem de forma satisfatória, com cerca de 40 por cento de progresso”.

Estima-se que todos os trabalhos deverão terminar ainda este ano. Igualmente, o Governo rescindiu o contrato com o primeiro empreiteiro que era responsável pela reabilitação do troço Namacurra-Nampevo (Lote I). O relatório não avança detalhes sobre os motivos deste diferendo, adiantando apenas que “os trabalhos ainda por executar, no troço Mocuba-Nampevo, serão incorporados no contrato de reabilitação da estrada Mocuba-Milange”.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!