Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

OBITUÁRIO: Eddie Bo 1930 – 2009 – 78 anos

O pianista, compositor e cantor de blues, Eddie Bo, morreu no passado dia 20 de Março, confirmou uma amiga sua, a empresária Karen Hamilton. Segundo ela, Eddie morreu após um ataque cardíaco. “Foi tudo muito rápido. Morreu em paz e descansado”, adiantou Hamilton. Eddie contava 78 anos.

Bo, cujo nome de baptismo era Edwin Joseph Bocage, teve uma prestigiada carreira como teclista e pianista, durante mais de cinco décadas. Entre outros artistas do blues, tocou com Irma Thomas e Art Neville. Como compositor, fez história nos anos ´50 e 60, como “My Dearest Darling”, celebrizada por Etta James. Mais tarde, a canção alcançaria redobrado sucesso sob a voz de Little Richard, que a renomeou para “Slippin’ and Slidin’”.

Durante a sua longa carreira, Bo ainda lançou mais de 50 singles, entre eles o famosíssimo “Check Mr. Popeye”, de 1962. Entre os artistas de Nova Orleães, só Fats Domino o ultrapassa.

Nascido em Nova Orleães a 20 de Setembro de 1930, foi a sua mãe, uma pianista de blues, a primeira pessoa que o influenciou levando-o para todos os espectáculos onde actuava. No começo da carreira, Bocage acompanhou em digressão cantores como Joe Turner, Lloyd Price, Ruth Brown e Earl King, Irma Thomas, Robert Parker e Art Neville, dos Neville Brothers.

Na juventude, Bocage estudou na Grunewald School of Music em Nova Orleães e, conforme a sua biografia, concebeu lá um estilo único de tocar, incorporando ritmos de bebop, influenciado por Art Tatum e Oscar Peterson. Além da música, Bocage tinha como hobby a pesca e era também um habilidoso carpinteiro. Foi ele mesmo quem consertou o tecto da sua casa em Nova Orleães depois dos danos causados pelo furacão Katrina, em 2005. Apesar da enorme catástrofe, Eddie não perdeu o humor e ao jornal “Chicago Sun-Times” gracejou: “Durante o Katrina o meu telhado decidiu que gostava mais do meu vizinho e deixou-me.” Após o furacão gravou uma versão de uma música tradicional de Nova Orleães “When the Saints Go Marching In” para o “Our New Orleans”, um CD cujas receitas se destinavam à reconstrução da cidade arrasada depois da passagem do Katrina.

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!