Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

OBITUÁRIO: Eddie Bo 1930 – 2009 – 78 anos

O pianista, compositor e cantor de blues, Eddie Bo, morreu no passado dia 20 de Março, confirmou uma amiga sua, a empresária Karen Hamilton. Segundo ela, Eddie morreu após um ataque cardíaco. “Foi tudo muito rápido. Morreu em paz e descansado”, adiantou Hamilton. Eddie contava 78 anos.

Bo, cujo nome de baptismo era Edwin Joseph Bocage, teve uma prestigiada carreira como teclista e pianista, durante mais de cinco décadas. Entre outros artistas do blues, tocou com Irma Thomas e Art Neville. Como compositor, fez história nos anos ´50 e 60, como “My Dearest Darling”, celebrizada por Etta James. Mais tarde, a canção alcançaria redobrado sucesso sob a voz de Little Richard, que a renomeou para “Slippin’ and Slidin’”.

Durante a sua longa carreira, Bo ainda lançou mais de 50 singles, entre eles o famosíssimo “Check Mr. Popeye”, de 1962. Entre os artistas de Nova Orleães, só Fats Domino o ultrapassa.

Nascido em Nova Orleães a 20 de Setembro de 1930, foi a sua mãe, uma pianista de blues, a primeira pessoa que o influenciou levando-o para todos os espectáculos onde actuava. No começo da carreira, Bocage acompanhou em digressão cantores como Joe Turner, Lloyd Price, Ruth Brown e Earl King, Irma Thomas, Robert Parker e Art Neville, dos Neville Brothers.

Na juventude, Bocage estudou na Grunewald School of Music em Nova Orleães e, conforme a sua biografia, concebeu lá um estilo único de tocar, incorporando ritmos de bebop, influenciado por Art Tatum e Oscar Peterson. Além da música, Bocage tinha como hobby a pesca e era também um habilidoso carpinteiro. Foi ele mesmo quem consertou o tecto da sua casa em Nova Orleães depois dos danos causados pelo furacão Katrina, em 2005. Apesar da enorme catástrofe, Eddie não perdeu o humor e ao jornal “Chicago Sun-Times” gracejou: “Durante o Katrina o meu telhado decidiu que gostava mais do meu vizinho e deixou-me.” Após o furacão gravou uma versão de uma música tradicional de Nova Orleães “When the Saints Go Marching In” para o “Our New Orleans”, um CD cujas receitas se destinavam à reconstrução da cidade arrasada depois da passagem do Katrina.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!