Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Obituário: David Bowie morre de cancro aos 69 anos

O lendário astro britânico do rock David Bowie, que encarnou sucessos como “Ziggy Stardust” com ousadas demonstrações andróginas de sexualidade e roupas brilhantes, morreu de cancro aos 69 anos. Um camaleão visionário, Bowie abalou os mundos do rock hedonístico, da moda e do drama durante cinco décadas, expandindo as fronteiras da música e da sua própria sanidade para produzir algumas das músicas mais inovadoras da sua geração.

“David Bowie morreu em paz hoje cercado pela sua família, após uma corajosa batalha de 18 meses contra o cancro”, disse um comunicado publicado na página de Bowie no Facebook com a data de domingo. Steve Martin, da empresa de publicidade de Bowie, a Nasty Little Man, confirmou que a publicação no Facebook era verdadeira.

Os londrinos depositaram flores num memorial a Bowie improvisado na região de Brixton onde ele nasceu, e o primeiro-ministro britânico, David Cameron, exaltou o cantor como um génio. “Eu cresci a ouvir e assistir o génio do pop David Bowie. Ele foi um mestre da reinvenção que continuou a sempre acertar. Uma grande perda”, disse Cameron.

A estrela pop Madonna disse no Twitter: “Talentoso. Único. Génio. Inovador. O Homem que Caiu na Terra. O seu Espírito Vive para Sempre!”.

Nascido David Jones no bairro londrino de Brixton, Bowie começou a tocar saxofone aos 13 anos. Ele alcançou a fama na Europa com “Space Oddity”, de 1969. Mas foi a representação de Bowie para o astro do rock bissexual e alienígena Ziggy Stardust, em 1972, que o alçou ao estrelato mundial. Bowie e Ziggy, vestindo figurinos e maquilhagem extravagantes e um cabelo laranja, sacudiram o mundo do rock.

Bowie manteve-se longe dos holofotes desde que passou por uma cirurgia cardíaca de emergência em 2004, mas comemorou o aniversário de 69 anos, na sexta-feira, com o lançamento de um novo álbum, “Blackstar”, que foi bem-recebido pelos críticos.

David Bowie, sempre um inovador na vanguarda da opinião pública, disse em 1972 ao jornal Melody Maker que era gay, um passo que ajudou a abrir caminho para a abertura sexual na Grã-Bretanha, país que descriminalizou a homossexualidade somente em 1967. Ele casou-se em 1970.

Numa entrevista à Playboy anos depois ele disse ser bissexual, mas nos anos 1980 ele afirmou à revista Rolling Stones que a sua declaração foi “o maior erro que já fiz”, e que ele foi “sempre um heterossexual no armário”.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!