Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

O goleador que veio do Malawi

O goleador que veio do Malawi

Uma das estrelas mais cintilantes dos bi-campeões nacionais chama-se Zicco, é malawiano e marcou dez golos, seis dos quais em apenas dois jogos.

Zicco Lavimour Mkanda nasceu a 17 de Dezembro de 1990 na capital do Malawi, Blantyre, numa família onde o desporto era secundário, importante era estudar. “Desde pequeno era apaixonado pelo futebol e a bola era o meu brinquedo predileto. O meu pai sempre me comprava brinquedos que relacionados com o futebol e várias vezes levava-me aos campos para assistir jogos” para angústia da mãe que o queria ver licenciado, como o irmão mais velho.

Como os adolescentes da sua idade brincava até esquecer da hora das refeições o que lhe valeu várias repreensões por parte da mãe que interrompeu vários “jogos na rua para me levar para casa para passar as refeições, uma vez que naquela altura a minha vida resumia em estudar e jogar futebol”.

Com o futebol que aprendeu nas ruas Zicco começou por destacar-se nos Jogos Desportivos Escolares do Malawi de onde foi convidado para integrar os escalões de formação de um clube federado. Mas a mãe insistia que a garantia de um futuro melhor estava na escola e não nos relvados, por isso o adolescente teve que continuar a jogar futebol às escondidas.

Veia goleadora desde pequeno

Mas as boas exibições que fizera nos Jogos Escolares não foram esquecidas e logo foi convocado para representar a sua escola num torneio juvenil patrocinado por uma multinacional de bebidas não alcoolicas foi um desabrochar do artilheiro. “Ficamos em primeiro lugar a nível regional e posteriormente sagramo-nos campeões a nível nacional. Como campeões nacionais ganhamos o direito de representar o país na prova internacional e voltamos a ficar em primeiro lugar.”

Zicco, o mais jovem jogador da sua equipa escolar, foi o melhor marcador do torneio. Mas faltava convencer a sua mãe que o seu futuro estava nos relvados de futebol. O jovem artilheiro saltou da equipa escolar para os juvenis da equipa do Escom United FC, um dos grandes clubes da capital malawiana, onde quase não jogava pois era muitas vezes convocado para jogar na equipa do escalão acima, nos juniores.

O jovem avançado não parava de brilhar e a convocação para a selecção sub-17 não demorou. Quando a convocatória chegou a mãe enfim rendeu-se “venci a angústia da minha mãe”. Na África do Sul, disputando a Taça Cosafa em sub-17 Zicco fez a sua estreia internacional torneio que acabou por repetir só que no escalão seguinte “fui escolhido para fazer parte da selecção sub-20 que se preparava para o mesmo certame”. O então avançado internacional fez uma excelente prova em representação do seu país e e quando viu já estava a representar a selecção A do Malawi.

Com um futuro promissor o jovem goleador elege como um dos momentos mais marcantes da sua carreira o jogo das eliminatórias de acesso ao Campeonato Africano das Nações onde marcou um golo aos Camarões, foi o seu primeiro golo a defender as cores do seu país. Entretanto com 16 anos Zicco também chegou a equipa principal do Escom United que, na sua segunda época conquistou o título nacional. Zicco continuava a facturar golos e rapidamente despertou a cobiça de clubes sul-africanos e moçambicanos.

Matchedje abriu as portas do Moçambola

Em 2009 veio pela primeira vez para jogar no Moçambola. “Fui contratado pelo Ferroviário de Nampula mais não cheguei de fazer nenhum jogo com a camisola deste clube por culpa das desavenças que tivemos com a direcção”.

O avançado regressou ao Escom United mas não chegou ficou. Regressou a Moçambique com um contrato de dois anos vestindo a camisete do Matchedje que então regressava ao Campeonato Nacional de futebol. Não foi uma grande estreia mas tinha as portas do Moçambola abertas.

Findo o vínculo com os militares de Maputo o internacional malawiano mudou-se para a Beira onde foi marcar golos pelo Ferroviário local.

Insaciável

Finda a aventura pelas terras do Chiveve, em 2012, Zicco saltou para a Liga, na altura bi-campeão nacional que procurava o tri. Depois de uma época sem sucessos uma lesão no joelho afastou-lhe do terceiro título nacional dos “muçulmanos”. Foi o pior período da sua curta carreira, altura em que pensou mesmo que não voltaria a jogar futebol.

Recuperado Zicco começou a época à sombra de Sonito, o melhor marcador das duas edições anteriores do Moçambola. Mas na recta final do Moçambola, quando a Liga atravessou o seu pior momento, o malawiano despontou e fez o que mellhor sabe marcar golos. Foram dois hat-tricks decisivos. O primeiro ao Estrela Vermelha da Beira, à passagem da 24ª jornada, e o segundo na jornada derradeira frente ao Ferroviário de Pemba.

No dia da festa do título Zicco é ainda um goleador insaciado “estou feliz por ter ajudado a equipa, com os golos, na revalidação do título, mas não estou feliz porque tinha o objectivo de ser melhor marcador do Moçambola. Mas no próximo ano vou lutar para conseguir este feito”.

Apesar dos planos para a próxima época com o campeão moçambicano Zicco sonha com Campeonatos mais competitivos que o Moçambola “gostaria de jogar na Liga Inglesa ou a Espanhola, consideradas as melhores do mundo”.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!