Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Nova fábrica de processamento de algodão em Manica

Uma nova fábrica de processamento de algodão, cujas obras estão orçadas em 12 milhões de dólares norte-americanos, começa a laborar no próximo mês de Março, no distrito de Guro, província central de Manica.

 

 

O empreendimento, que tem capacidade para processar sete toneladas de algodão por dia e 10 mil toneladas ano, vai absorver a produção algodoeira não só do distrito de Guro, anfitrião, como também dos restantes distritos das províncias de Manica, Tete e Zambézia.

O lançamento da primeira pedra, marcando o arranque das obras, teve lugar esta quarta-feira, em Guro, numa cerimónia dirigida pela governadora da província de Manica, Ana Comoane, e que contou com a presença de representantes da Embaixada da China e dos Governos das províncias de Tete, Manica, Zambézia e da Sociedade de Gestão Integrada de Recursos (SOGIL).

Segundo escreve o matutino “Noticias”, o empreendimento é propriedade da SOGIL e faz parte de um lote de três fábricas avaliadas em 50 milhões de dólares norte-americanos.

Este lote integra ainda a construção de uma unidade de processamento de milho na vila de Ulónguè, em Tete, e uma outra de processamento de arroz em Namacurra, na Zambézia. As duas outras unidades fabris serão construídas ao longo do próximo ano.

O presidente do Conselho de Administração da SOGIL, César Bento, revelou que os três empreendimentos foram financiados pelo Governo chinês no âmbito da parceria estabelecida entre aquele país asiático e Moçambique, sustentada pelas relações de amizade e solidariedade entre os Governos dos dois países.

Na ocasião, o secretário para a Área Económica e Comercial da Embaixada da China, Bai Min, em representação do embaixador chinês em Maputo, disse tratar-se do primeiro projecto de uma série de iniciativas de cooperação económica que Moçambique tem com a China e representa a materialização dos protocolos de cooperação financeira e comercial assinados entre os dois países.

A governadora de Manica, que presidiu o acto, disse, por seu turno, que a materialização deste projecto é um importante passo para o desenvolvimento económico e social e uma oportunidade para a criação de mais postos de trabalho.

Estimam-se que o empreendimento, quando estiver a laborar, venha a proporcionar cerca de 150 postos de trabalho.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!