Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Nomeados novos quadros de instituições da defesa nacional

O Presidente moçambicano, Armando Guebuza, dirigiu, segunda-feira, nas instalações do Estado-Maior General, em Maputo, a cerimónia de exoneração, nomeação e promoção de quadros da defesa nacional.

Nas nomeações, Guebuza indicou Júlio dos Santos Jane para o cargo de Comandante do Serviço Cívico de Moçambique. O Brigadeiro Lázaro Menete assumiu o cargo de Comandante do Ramo da Marinha de Guerra de Moçambique e o Brigadeiro Victor Muirequetule é, desde hoje, Comandante da Academia Militar ‘Marechal Samora Machel’, na província nortenha de Nampula

. O Serviço Cívico de Moçambique exerce actividades de carácter administrativo, assistenciais, culturais e económico, em complemento do serviço militar obrigatório.

Na mesma ocasião, os coronéis Marcos Manjate, Margarido Pinto, Pedro Banguine, Francisco Mataruca, Joaquim Mangrasse e Agostinho Milice foram todos promovidos ao cargo de brigadeiro.

Patrício Yotamo, Júlio dos Santos Jane e António Ponja cessaram funções nos comandos da Marinha de Guerra, da Academia Militar ‘Marechal Samora Machel’ e vice-comandante desta última, respectivamente.

Discursando no fim da cerimónia, Guebuza disse aos empossados que a expectativa do governo é que eles desempenhem as suas funções com brio e sentido de pátria e missão características que definem as Forças Armadas de Defesa de Moçambique (FADM) desde os primórdios da luta de libertação nacional.

‘No vosso quotidiano deverão honrar a confiança que em vós depositamos inculcando os valores nobres desta pátria de heróis que nos viu nascer. Deverão, em particular, empenhar-se na formação dos jovens que ingressam na careira militar para que esses se transformem em difusores desses valores nobres deste povo muito especial’, afirmou o Presidente Guebuza.

Guebuza disse ainda que as forças armadas nasceram, cresceram e se afirmaram na defesa dos princípios, valores e interesses sublimes do povo, entre eles a unidade nacional, a paz o desenvolvimento nacional e a solidariedade com os outros povos do mundo.

As Forças Armadas de Defesa de Moçambique não são apenas uma instituição militar estruturante da identidade nacional mas também, segundo o presidente, uma escola que ensina valores para a vida.

O outro aspecto que mereceu realce na intervenção do estadista moçambicano foi a entrada em funcionamento do serviço cívico de Moçambique que, para o seu exercício, foi nomeado Júlio dos Santos Jane que era até então comandante da Academia Militar ‘Marechal Samora Machel’.

O serviço, segundo o estadista moçambicano, abre uma janela para mais jovens moçambicanos aprofundarem o valor da unidade nacional, da solidariedade de moçambicano e do amor ao povo.

A cerimónia de exoneração, promoção e nomeação de oficiais do exército contou com a presença do Primeiro-ministro, Aires Ali, o Ministro da Defesa Nacional, Filipe Nyusi, entre outras individualidades.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!