Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

No reino dos sonhos

No reino dos sonhos

São crianças que se têm destacado pelo seu trabalho na “Academia de Sonhos”. Não se consideram estrelas. Mas elas querem e podem sê-lo, até porque não lhes falta talento. São capazes de encantar multidões e galvanizar as atenções no ecrã.

De diferente têm apenas as idades, mas partilham o mesmo sonho: ajudar as crianças desfavorecidas. Se fossem Presidentes da República por um dia, baixavam os preços dos produtos alimentares, acabavam com a corrupção e criavam mais espaços para as crianças brincarem.

Todos os Sábados, entre as 10 e as 15 horas, o recinto da sala de espectáculos do Big Brother é ocupado por miúdos com idades compreendidas entre os 10 e 19 anos. 21 de Maio. São 10h30. Eles vão chegando um por um e há outros que vêm em pequenos grupos para mais um dia de ensaios e de gravação do programa “Seguindo os Sonhos”, que vai ao ar todos os Domingos de manhã na Televisão de Moçambique (TVM).

Alguns miúdos, sossegados e inacessíveis, aguardam pela chegada dos outros. Ao fim de uma hora, quase metade dos petizes já se faz presente. Cumprimentam-se em grande animação. Com a turma completa, os que pareciam recatados descontraem-se e vão circulando de um lado para o outro. Ouvem-se vozes agitadas. O ambiente na Academia de Sonhos é de alegria.

Sorridentes e expelindo muita energia, concentram-se nas suas responsabilidades.Apresentação de um programa televisivo, música e dança são as áreas em que os miúdos estão envolvidos. Enquanto uns se preparam para a agravação do programa “Seguindoos Sonhos”, alguns ensaiam certas coreografias de dança e outros aquecem as gargantas, revelando vozes fantásticas que não deixam ninguém indiferente.

Diga-se, ninguém como estes rapazes e estas raparigas levaram tão a sério o que fazem.Expelindo imaginação fértil, são capazes de encantar multidões e de galvanizar as atenções dos que os observam, graças a uma rara qualidade inata. Aliás, a criatividade dos miúdos – refira-se que cada um é livre de libertar a sua imaginação – merece figurar na lista de candidatosaos grandes prémios atribuídos aos profissionais na área de comunicação, música e dança que se distinguem no exercício das suas funções.

Movidos pelos sonhos

Na Academia dos Sonhos, os petizes cumprem uma paixão e não só. Também vivem um sonho e desenvolvem as suas habilidades, além de aprenderem a olhar para os mais próximos com compaixão.

Leila Armindo Cumbane, tal como os seus colegas da academia, é movida por um sonho: o de se tornar uma apresentadora de um programa televisivo. Extrovertida, a menina de 10 anos de idade frequentaa 6ª classe e tem um à-vontade perante as câmaras que faz inveja a muitos profissionais.

Juntou-se ao grupo há sensivelmente um mês e aprendeu a conviver. Diz que “sempre sonhei apresentar um programa de TV” e hoje vive o seu sonho. Ela adora apresentar a rubrica de promoção dos direitos das crianças. “Os direitos que mais gosto de apresentar são os direitos à educação e a liberdade de expressão”, comenta. Se fosse Presidente da República (PR) por um dia, revela que ajudaria as crianças desabrigadas, acabava com a corrupção e melhoraria a cidade de Maputo.

A aluna da 7ª classe, Neide Angelina Gaspar também sonha estar diante das câmaras de TV.Hoje, com 11 anos de idade, cumpre esse desejo apresentando os direitos das crianças no programa “Seguindo os sonhos” há um mês.

“Nunca me tinha passado pela cabeça a ideia de estar em frente das câmaras, mas quando ouvi o anúncio do casting para apresentador não pensei duas vezes”, conta. Se fosse PR por um dia, Neide melhorava a vida dos moçambicanos, baixando os preços dos produtos alimentares, melhorando as vias de acessos e acabava com os casos de abandono das crianças.

Fátima Nunguiane é dona de uma voz fantástica. Está na academiahá aproximadamente um ano. Adora cantar, até porque, segundo conta, a música sempre fez parte de si. “Gosto de música, especialmente música educativa e direccionada para as crianças”, diz.

Na Academia de Sonhos aprendeu a desenvolver o seu dom de canto. Tem 16 anos de idade, frequenta a 12ª classe e, se fosse PR, dedicava- se a ajudar as crianças vulneráveis e contribuiria para um mais país melhor, livre da corrupção e outros crimes.

Há dois anos Vanya Froy faz parte da academia. Foi fazendo rádio que lhe surgiu o convite para integrar a Academia de Sonhos, como apresentadora de uma rubrica.Gosta de abordar assuntos ligados à adolescência. “Gosto de falar de mudanças de comportamento que ocorrem na adolescente porque, além de divulgar a informação, também aprendo bastante”, comenta.

Fazer televisão sempre foi o seu sonho, e presentemente, além de viver um sonho, aprende a valorizar uma oportunidade e a ouvir os outros. Se pudesse mudar o país, criava mais espaços para as crianças brincarem e melhorava as escolas e as vias de acesso.

Desde pequena, Nelsa da Graça Malate nutre uma grande paixão pela música. Dona de uma voz melodiosa, olha para a academia como uma oportunidade de aprender e desenvolver algumas habilidades. “Nasci a cantar, mas aqui aprendi a desenvolver e a valorizar essa qualidade e estou a realizar um sonho de infância”, diz. Já fez rádio, mas a TV tem sido a sua grande experiência. Se fosse PR, transformava Maputo numa cidade mais decente, e ajudava as crianças da rua e os idosos.

O gosto pela televisão foi sendo ganho com o andar do tempo. Há dois anos queLeocádia Fernandes, de 15 anos de idade, está na Academia dos Sonhos e faz de tudo: “entrevistas, apresentação do programa, entre outras actividades”. Mas o que se orgulha de ter aprendido é que, segundo diz, “com força de vontade podemos ajudar os mais necessitados e deve-se apostar na educação de qualidade” e lamenta afirmando que “há muita coisa errada no mundo”.

Maique Cossa, de 14 anos, pertence à academia há aproximadamente um ano. Apresentava um programa radiofónico, mas graças a um convite vive um dos seus sonhos: estar diante das câmaras de TV. Do que mais gosta é divertir as pessoas e, se tivesse o poder de mudar o país, começaria por melhorar a mentalidade das pessoas e depois ajudaria os mais necessitados.

Academia dos Sonhos

A Academia de Sonhos é uma associação, sem fins lucrativos, fundada em 1999. Dedica-se especialmente à promoção dos direitos das crianças, de novos talentos e à realização de eventos para crianças vulneráveis. Tem um programa de televisão semanal na TVM denominado “Seguindo os Sonhos”, onde, através da diversão, sensibiliza a sociedade sobre a situação das crianças e promove os seus direitos, além de organizar mensalmente espectáculos.

Na apresentação do programa ‘Seguindo os Sonhos”, estáenvolvido um grupo composto por oito crianças que sabem debater e falar sobre os mais diversos assuntos e que durante sensivelmente uma hora e meia dão a conhecer os direitos das crianças, questões do dia-a-dia, e os assuntos relacionados com a adolescência à misturacom o entretenimento. Ou seja, trata-se de um programa educativo infanto-juvenil que promove o espírito crítico dos telespectadores mais novos através de muita diversão.

Além das crianças envolvidas na apresentação do “Seguindo os Sonhos”, a academia é constituída por activistas, colaboradores, cantores e dançarinos. Ao todo, são por volta de 150 crianças, dos 10 aos 15 anos de idade, sendo o processo de integração feito através de casting.

O projecto nasceu da ideia do produtor musical Roland, ou simplesmente tio Roland, como é carinhosamente tratado pela pequenada.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!