Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Niassa / Guebuza encoraja Maúa a apostar na agricultura

O Presidente da República, Armando Guebuza, encoraja os residentes do Posto Administrativo de Muapula, distrito de Maúa, província do Niassa, norte do país, a continuarem engajados nas diversas iniciativas em curso no sector agrário, com vista a erradicarem a pobreza que constitui o inimigo comum de todos os moçambicanos.

O Chefe de Estado transmitiu a mensagem no comício que orientou, na tarde da segunda-feira, naquele posto que dista a 450 quilómetros da cidade de Lichinga, capital provincial, e que marcou o início de uma visita de trabalho àquela província no quadro da Presidência Aberta e Inclusiva.

Com uma população estimada em 4.585 habitantes, maioritariamente macuas, Muapula foi, durante a guerra civil, o “teatro de operações” de sangrentos confrontos entre as forças governamentais e da Renamo que tinha naquele posto administrativo a sua base provincial, donde maquinava as suas incursões rebeldes.

Todavia, terminada a guerra dos 16 anos (em 1992), os residentes de Muapula estão hoje envolvidos em iniciativas para garantir a sua auto-suficiência alimentar, esforço que confere ao posto o título de celeiro do distrito, cujo potencial agrícola traduz-se nas excelentes colheitas em culturas como o milho, mapira, mandioca, batata-doce, bem como o tabaco que é cultura de rendimento.

Guebuza enalteceu os vários feitos dos residentes de Muapula no domínio da agricultura, afirmando que entre as várias conquistas na longa marcha contra a pobreza conseguem, hoje, até tirar leite da vaca para a produção de iogurtes, que são de elevado valor nutritivo na dieta das pessoas.

“Já fizemos muita coisa que mostra que estamos a diminuir a pobreza, porquanto aqui em Muapula já é possível tirar o leite da vaca”, disse Guebuza, acrescentando que devem continuar a caminhar até desferirem um golpe triunfal contra a pobreza.

O estadista moçambicano disse haver pessoas que não acreditam que a pobreza vai passar, que ela será ultrapassada, mas que Muapula é exemplo concreto da crença vitória sobre a pobreza, apontando como provas as casas feitas de tijolo queimado, as motorizadas as, as grandes quantidades de milho e outras culturas que os camponeses do posto conseguem colher nas suas machambas.

No comício, o presidente recordou aos residentes de Muapula o acontecimento histórico que a data, desta segunda-feira, regista no tempo, que reside no facto de ter sido precisamente a 20 de Junho de 1912, que nasceu o filho herói de Moçambique, Eduardo Mondlane, “Arquitecto da Unidade Nacional”, e que devolveu a auto-estima os moçambicanos.

Mondlane, segundo o presidente, é filho de Moçambique que apesar de ser na altura um doutor que já estava até a trabalhar para as Nações Unidas, deixou a sua brilhante careira promissora para vir unir os seus compatriotas e mostrar o caminho para a vitória sobre o colonialismo.

Se estivesse vivo, Mondlane faria, segunda-feira, 91 anos. Na ocasião, os residentes de Muapula também apresentaram ao Chefe de Estado várias questões que, se solucionadas, podem estimular o desenvolvimento e acelerar a marcha rumo ao fim da pobreza que ainda afecta milhares de moçambicanos.

Assim, os residentes de Muapula pediram a alocação de uma ambulância para a evacuação dos doentes, porque o único carro que é solicitado para esse fim muitas vezes regista avarias complicando ainda mais a saúde dos enfermos. A extensão do sinal de telefonia móvel é outra preocupação que teve anuência do Chefe do Estado.

Guebuza reconheceu a importância do sinal de telefonia móvel, apontando que uma pessoa que queira enviar notícias aos seus parentes sobre o sucesso na colheita, por exemplo, não pode mostrar o quão é grande o seu sorriso, mas através da comunicação via telefone celular já é possível inclusive chorar se as notícias a transmitir forem péssimas.

A construção de uma maternidade na unidade sanitária e uma casa mãe espera é outro pedido que os residentes apresentaram, dado que as parturientes vão dar a luz em um compartimento do centro de saúde no qual podem ser vistas por outros doentes menores de idade que estão a tratar das suas feridas.

As futuras mães, na sua maioria, vivem em localidades e povoados distantes do centro de saúde e são bastas vezes forçadas a percorrer enormes distâncias até chegar ao centro de saúde, onde vão dar o parto. O conflito homem-fauna bravia, com os elefantes a invadirem os campos de cultivo das comunidades é outra preocupação inquieta as populações.

Aliás, no princípio deste ano, um elefante invadiu a sede do distrito onde provocou um clima de pânico e agitação, pois perseguia as crianças de um lado para o outro.

Em Muapula, a questão da falta de transparência na análise escolha dos projectos para beneficiarem do Fundo de Desenvolvimento Distrital (FDD), vulgo sete milhões, veio a superfície e provocou aplausos e gritarias dos residentes que acorreram ao comício, na forma de acordo tácito com a denúncia.

O presidente que, a semelhança dos outros locais por onde passou durante a presidência aberta, não prometeu soluções milagrosas, mas garantiu as populações que as questões ligadas a provisão das infraestruturas está na agenda do governo e as de carácter pessoal também serão estudadas em pormenor.

Na visita a província de Niassa, Guebuza faz-se acompanhar pelos ministros da administração estatal, da agricultura, viceministros do interior e das finanças.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!