Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

NBA FINAL: equipe texana, perdia por nove pontos no quarto período, vira jogo e empata o confronto em 2 a 2

NBA FINAL: equipe texana

Quando os Miami Heat abriram uma vantagem de nove pontos no início do quarto período, a claque engoliu seco no ginásio lotado em Dallas. Afinal, a derrota de domingo ainda assombrava a memória, e a possibilidade de ver o rival abrir 3 a 1 na final da NBA era assustadora. Para piorar, Dirk Nowitzki, o craque dos Mavs, jogava com febre. Cenário desolador, mas não para uma equipa que vai ficando famosa pelas reações improváveis.

Num piscar de olhos, os Mavericks apagaram a diferença no placar, passaram para à frente e fizeram a arquibancada trocar a apreensão pela euforia. Em mais um capítulo dramático da série, o Dallas venceu por 88 a 86 e igualou o confronto em 2 a 2.

O próximo episódio já tem dia, hora e local marcados: quinta-feira, 22h (madrugada de sexta-feira em Maputo), de novo em Dallas. Aconteça o que acontecer, a disputa volta para Miami, palco do jogo 6 no domingo. Se até lá ninguém fechar com quatro vitórias, o campeão só será conhecido na sétima partida, também na Flórida, na próxima terça.

Mesmo com febre, Nowitzki foi para o jogo e, além de comandar o ataque dos Mavs com 21 pontos, ainda adicionou 11 ressaltos e fez uma bandeja decisiva a 14 segundos do fim. Jason Terry, que vinha sendo criticado na série, saiu do banco e fez 17 pontos, incluindo os dois lances livres que ajudaram a selar a vitória com seis segundos no relógio. O pivô Tyson Chandler também jogou bem com 13 pontos e 16 ressaltos.

Pelo lado do Miami, a decepção ficou novamente por conta de LeBron James. O ala fez apenas oito pontos, em atuação irreconhecível no ataque. Compensou um pouco com nove ressaltos e sete assistências, mas ficou marcado pelo aproveitamento de 3/11 nos arremessos. O melhor marcador dos Heat mais uma vez foi Dwyane Wade, com 32 pontos, mas na hora da última bola ele deixou escapar um mau passe de Mike Miller. Bosh ainda colaborou com 24 pontos, mas não foi o bastante para evitar a derrota.

Equilíbrio durante todo o jogo

Após a derrota no jogo 3, o técnico Rick Carlisle resolveu mexer nos Dallas. Deixou DeShawn Stevenson no banco e mandou à quadra uma formação com dois armadores: Jason Kidd e JJ Barea. Mas quem carregou a equipa nas costas nos primeiros minutos foi Nowitzki, que ignorou a febre e fez 6 a 0. O Miami logo recuperaram-se, fizeram alguns ressaltos ofensivos importantes e equilibraram o jogo. Com Terry saindo do banco e fazendo sete pontos, os Mavs não deixaram os visitantes virarem e fecharam o primeiro quarto com um empate: 21 a 21.

No início do segundo, os Heat abriram sete pontos de vantagem, mas a montanha-russa continuou ativa. Logo os Dallas viraram e abriram quatro, com a ajuda valiosa de Stevenson, que entrou na quadra e acertou os seus três primeiros arremessos de três pontos. LeBron decepcionava com apenas quatro pontos antes do intervalo, mas Bosh (16) e Wade (13) compensavam. E os Heat foram para o vestiário a vencer por 47 a 45.

Na volta para o segundo tempo, as duas equipas continuaram a revezar-se na liderança. O Dallas chegou a abrir três, o Miami respondeu abrindo quatro. Jogando mal no fim do período, a equipe da casa saiu a ganhar ao ficar apenas 69 a 65 atrás na entrada para os últimos 12 minutos.

O último quarto começou com os Miami a abrirem nove pontos, maior vantagem da partida. Mas não por muito tempo. Como de hábito, os Dallas foram a luta e viraram com uma bandeja de Jason Terry a cinco minutos do fim. O equilíbrio arrastou-se até os segundos finais.

Wade errou um lance livre a 30 segundos do fim, quando tinha a chance de empatar. Se Wade vacilou, Nowitzki não perdoou. O alemão conseguiu vencer a forte marcação dos Miami e partiu para a bandeja, abrindo três pontos a 14 segundos do fim. Em vez de tentar a bola de três, Wade foi para um afundanço e diminuiu a desvantagem um ponto com nove segundos no relógio.

Terry recebeu a falta, foi para a linha de lances livres e converteu os dois. O relógio marcava 6,7s, e veio a falha fatal. Wade recebeu um passe torto na reposição de Mike Miller e deixou a bola escapar. Ainda mergulhou para fazer um passe para Miller, mas o tiro saiu de longe, desequilibrado. Não chegou nem no aro. E a reação dos Dallas estava completa. Tudo igual na decisão.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!