Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Não fizeram a Prova Anual de Vida: INSS vai suspender pensões a mais de 3.000 beneficiários

Não fizeram a Prova Anual de Vida: INSS vai suspender pensões a mais de 3.000 beneficiários

Fim de SemanaO Instituto Nacional de Segurança Social (INSS) vai suspender o pagamento de pensões de mais de três mil pensionistas a nível da cidade de Maputo, em virtude de não terem realizado a Prova Anual de Vida, um processo que decorreu entre os dias 3 de Janeiro e 31 de Março.

De um universo de 17.602 pensionistas registados na capital do País até o dia 31 de Dezembro de 2016, 13.904 realizaram a Prova Anual de Vida, o que corresponde a 78.99%. Segundo dados fornecidos pelo delegado do INSS a nível da cidade de Maputo, Sarmento Senda, dos 3.698 pensionistas que faltaram à Prova Anual de Vida, 2.176 correspondem à pensão por velhice, 49 por invalidez e 1.473 de sobrevivência.

“Não é motivo para nos orgulharmos, porque estamos cientes de que para muitos a pensão é a única fonte de sustento. Mas temos de ter a certeza de que estamos a pagar à pessoa certa, daí a necessidade da realização da Prova Anual de Vida”, explicou o delegado, que referiu que o INSS só irá retomar o pagamento das pensões canceladas, quando os pensionistas realizarem a prova.

Entretanto, o INSS abriu uma excepção a cerca de 150 pensionistas com dificuldades de locomoção, que não precisaram de se deslocar à delegação da cidade de Maputo para realizar a prova, pois “foram criadas brigadas para fazerem o registo destes pensionistas nos seus domicílios. Para estes, fomos complacentes, o que significa que não cancelaremos o pagamento das pensões no início”, concluiu Sarmento Senda.

A Prova Anual de Vida é um acto pelo qual o INSS comprova a existência física do titular da pensão, de modo a manter o direito ao recebimento da respectiva prestação mensal. Igualmente, este exercício permite a actualização periódica do cadastro dos pensionistas para evitar pagamentos indevidos dos benefícios. Este exercício é feito todos os anos e abrange todos os titulares dos três tipos de pensões, sendo 373 por invalidez, 10.618 por velhice e 6.611 de sobrevivência.

A não comparência dos pensionistas no período estabelecido tem como consequência a suspensão do pagamento da pensão.

A cidade de Maputo, que tem o estatuto de província, é a que possui maior número de pensionistas, com um total de 17.602, seguida pelas províncias de Maputo e Sofala, com 8.698 e 8.418, respectivamente, sendo Niassa a que apresenta menor número, com 516.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!