Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Nampula com sistema para minimizar custos da água

Novos mecanismos de contenção de despesas no sector de abastecimento de água estão a ser introduzidos na província de Nampula, com a criação das chamadas “bombas de corda”, sistema de captação de água do poço, através do uso de cordas, sobretudo, em comunidades mais carenciadas daquele produto.

O programa, que se enquadra nas novas opções tecnológicas, visa reduzir os encargos relativos à construção das fontenárias e bombas manuais, conforme referiu, em entrevista ao Wamphula Fax, Gilda Candieiro, responsável do Programa de Àgua e Saneamento na delegação provincial da Cruz Vermelha de Moçambique (CVM) e membro do Grupo Temático de Água e Sanemento de Nampula (GATSAN).

A experiência está a ser implementada em Itoculo, distrito de Monapo, pela ADPP, uma organização não governamental internacional, e o GATSAN pretende disseminá-la para os restantes pontos da província e da região norte, que denunciam baixos índices de abastecimento daquele precioso líquido.

E porque os poços com estas características não apresentam grande profundidade, a nossa entrevistada disse que o seu organismo tem vindo a aconselhar as comunidades no sentido de proceder ao tratamento de água para evitar a contaminação de doenças.

O GATSN é um fórum que promove a colaboração dos parceiros do sector de água e saneamento ao nível da província de Nampula, que integra instituições do Estado, parceiros de cooperação nacionais e internacionais, interessados na melhoria dos serviços de abastecimento de água e saneamento, com particular enfoque às estratégias de planificação e implementação descentralizada, opções tecnológicas para o abastecimento e promoção dos cuidados a observar com aquele precioso líquido.

Em Agosto do ano passado, alguns membros daquele organismo beneficiaram de uma formação em técnicas básicas sobre o Saneamento Total Liderado pela Comunidade (SANTOLIC).

Trata-se de um projecto-piloto introduzido pela UNICEF, na cidade da Beira, província central de Sofala, visando minimizar a crise de água nas comunidades rurais.

Numa reunião de divulgação do Programa de Cooperação na área da Ciência , Tecnologia e Inovação entre Finlândia e Moçambique (STIFIMO), havida na última sexta-feira, o fórum referiu-se da necessidade do aumento da cobertura das fontes de àgua, parte das quais do tipo bombas de corda.

STIFIMO é uma iniciativa dos governos finlandês e moçambicano, no qual o Ministério da Ciência e Tecnologia do nosso país pretende colher experiências no estabelecimento de uma sociedade inovadora baseada no conhecimento.

O programa está avaliado em cerca de 22 milhões de Euros e será implemantado nas províncias de Nampula, Tete, Gaza e Maputo.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!