Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Publicidade

Na Cidade de Maputo restam menos de meia centena de camas no sector Público para doentes da covid-19

coronavirus2911-polana-canico-medicos

Com a explosão de milhares de novas infecções da covid-19 e centenas casos graves a necessitarem de internamento médico restam na Cidade de Maputo menos de meia centena de camas para o internamento nas unidades sanitárias Públicas. “Por natureza esta doença requer internamentos prolongados, mínimo de 7 dias e vai até 10 a 14 dias”, esclareceu a Directora Nacional Adjunta de Saúde Pública, Dra. Maria Benigna Matsinhe.

Num evidente reflexo do não cumprimento das medidas de prevenção durante a passagem de ano a Cidade de Maputo, epicentro da pandemia respiratória, identificou, desde o passado dia 7 de Janeiro, 1.207 novos infectados pelo SARS-CoV-2 e o número de doentes internados passou de 77 para 107 em unidades sanitárias dos sectores Público e Privado.

“Dos indivíduos internados 56 estão em estado clínico moderado, 65 estão em estado clínico grave e seis estão em estado clínico crítico. Dentre estes 81 estão submetidos à oxigeno terapia e seis estão sob ventilação mecânica, há ainda seis pacientes que estão nos cuidados intensivos”, actualizou na conferência de imprensa desta segunda-feira (11) a Directora Nacional Adjunta de Saúde Pública.

Respondendo ao @Verdade a Dra. Maria Benigna Matsinhe esclareceu: “a nossa capacidade de internamento na Cidade de Maputo, incluindo o Público e o Privado, é de 223 camas. Temos neste momento 107 camas ocupadas e ainda nos restam 116 camas disponíveis para os doentes. Naturalmente que com este aumento de internados a capacidade de internamento é limitada, por natureza esta doença requer internamentos prolongados, mínimo de 7 dias e vai até 10 a 14 dias”.

Contudo a capacidade no sector Público está cada vez mais limitada, no Centro de Isolamento da Covid da Polana-Caniço que “tem 120 camas como capacidade, neste momento temos 73 internados e 47 camas livres. A grande preocupação é nos pacientes que precisam de oxigénio e naqueles que precisam de ventilação”, alertou a Directora Nacional Adjunta de Saúde Pública.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!