Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Muçulmanas em Nampula pedem o uso do véu islâmico nos Bilhetes de Identidade

As mulheres muçulmanas da província de Nampula pediram à governadora local, Cidália Chaúque, para que esta interceda por elas junto do Governo Central no sentido de pedir permissão para passarem a usar o véu islâmico na imagem fotográfica estampadas nos Bilhetes de Identificação (BI). As senhoras anseiam ainda o uso do véu pelas alunas que frequentam as instituições públicas e privadas de ensino no país sem nenhum impedimento.

“Pedimos a si (Cidália Chaúque) porque nunca tivemos a oportunidade de dialogar com nenhum dos governadores que passaram por esta província. Entendemos que por ser mãe irá saber encaminhar melhor esta questão para o devido tratamento pelos órgãos competentes”, disse Delfina Pedra, residente do bairro de Namicopo, arredores da cidade de Nampula.

A interlocutora afirmou igualmente que, apesar de as mulheres estarem a registar melhorias na observância dos seus direitos, as que professam a religião islâmica continuam a enfrentar dificuldades relacionadas, sobretudo, com a falta de oportunidades de trabalho em todos os sectores de actividades. Porém, continuam a lutar, ao lado dos seus esposos, contra todas as adversidades que enfermam na sociedade porque têm em mente que perante Allah (Deus) todos são iguais.

“O islamismo não proíbe as mulheres de exercer um determinado cargo, desde que seja compatível com a sua situação social e respeitando a sua estatura física”, frisou Delfina insurgindo-se contra a alegada exclusão de que as muçulmanas são vítimas em Nampula.

Fatima Assane, da madrassa Muhadjirinah, considerou que a mulher, independentemente da sua orientação religiosa, desempenha um papel de grande responsabilidade no concernente à educação dos filhos, como esposa e dona de casa. Segundo a fonte, neste momento, o Governo deve estar engajado na materialização das políticas que visam promover a educação das crianças e mulheres no sentido de garantir o seu futuro e evitar situações de inferioridade a que elas estão votadas.

Refira-se que este grupo de mulheres muçulmanas falava num encontro que a governadora da província de Nampula manteve com elas. Na circunstância, Cidália Chaúque reconheceu a existência dos problemas apresentados e disse que em fórum próprio o Executivo vai discutí-los Prometeu ainda voltar a reunir com os seus interlocutores para dar as devidas respostas.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!