Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Mourinho, o homem convocado para levantar o Real Madrid

Mourinho

Ganhou (quase) tudo nos seus últimos três clubes: José Mourinho chega carregado de títulos, entre eles duas Ligas dos Campeões, ao Real Madrid, que espera mudanças após seis anos sem passar das oitavas de final na maior competição de clubes da Europa. “Na minha carreira tento sempre aceitar grandes desafios”, afirmou o português de 47 anos após a vitória em Madri do Inter de Milão na final da Liga dos Campeões, quando já era dada quase por certa sua partida para o clube  da capital espanhola.

Agora é uma realidade e Mourinho tem pela frente uma dura tarefa: fazer com que o Real Madrid volte a lutar na Liga dos Campeões, onde neste ano voltou a cair (pelo sexto ano consecutivo) nas oitavas de final. O desafio parece possível para o técnico português, que acaba de dar ao Inter sua primeira “Champions” desde 1965.

Sem esquecer que também levou o Porto, bom clube europeu mas aquém do Manchester United, Milan ou Barcelona, à conquista da Liga dos Campeões em 2004. O Madrid também parece ter feito uma boa escolha, já que o técnico português, que triunfou no Porto, no Chelsea e no Inter de Milão, sabe como vencer o Barça de Guardiola, que eliminou nas semifinais da “Champions” desta temporada.

O Real Madrid não vence o Barcelona há duas temporadas, e isso, tanto para o presidente do time espanhol Florentino Pérez como para os demais torcedores, não pode ser tolerado. José Mourinho, nascido em Setúbal no dia 26 de junho de 1964, partiu praticamente do nada para entrar no olimpo dos grandes treinadores.

Nunca foi um jogador profissional, mas professor; começou a carreira no mundo do futebol como tradutor para o técnico inglês Bobby Robson, no Sporting de Portugal (1992-94). Depois seguiu Robson, como ajudante, para o Porto (1994-1996), e depois ao Barça (1996-87), onde ficou com a chegada do treinador holandês Louis Van Gaal (1997-2000).

Para eles, Mourinho tem o vírus da tática e do “coaching”, e com Van Gaal viu seus poderes ampliarem-se. “Ainda que não o faça regularmente, deixei que ele dirigisse algumas partidas porque estava convencido de que um dia ele se tornaria o grande treinador que é”, declarou recentemente o técnico holandês, que o considerou um dos melhores do mundo.

Mourinho agradece a confiança de Van Gaal, mas o técnico, conhecido muitas vezes pela arrogância, lembra que pagou sua experiência “com muito trabalho e suor”. Após estes anos na sombra, Mourinho escolheu seguir seu caminho com o Benfica. Depois, foi para o União Leiria em 2001-2002, onde registrou bons números (19 partidas de Liga, 9 vitórias, 7 empates e apenas 3 derrotas), o que o levou a passar para o Porto na temporada 2002-2003.

Começaram então os anos de glória (campeão da Liga Portuguesa em 2003 e 2004, assim como vencedor da Liga dos Campeões em 2004) e a subida ao olimpo (campeão da Premier League com o Chelsea em 2005 e 2006, vencedor do campeonato italiano com o Inter em 2009 e 2010 e responsável pela conquista do Inter da “Champions” neste ano).

Mourinho, de aspecto sedutor com os cabelos grisalhos, é hoje o técnico mais bem pago do mundo e poderá ser, no comando do Real Madrid, o único treinador a conquistar três Ligas dos Campeões com três clubes diferentes. Algo que o Real Madrid espera e torce.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!