Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Morrumbala, Milange e Namacurra, a FIR e o SISE estão lá

As possíveis manifestações a serem organizadas pela da Renamo como repúdio aos resultados eleitorais validados no dia 28 de Dezembro do ano que terminou na última quintafeira, pelo Conselho Constitucional, não deixam sossegado o estado moçambicano e sobretudo o partido no poder, a Frelimo.

Só para situar o estimado leitor, aquando da validação destes mesmos resultados, o partido Frelimo, no seu estilo característico de show off, enviou seus quadros as províncias, para segundo eles, conviverem com o eleitorado esta festa da vitória. No aeroporto de Quelimane, Luísa Diogo, chefe da brigada central daquele partido para província da Zambézia, nem sequer conseguiu dar resposta quando questionado sobre estas possíveis manifestações da Renamo e o posicionamento da Frelimo face a isso.

Dai que a passagem do ano 2009 para 2010, a província central da Zambézia, recebeu hóspedes. Hóspedes munidos de todo arsenal armado. Estamos a falar da Força de Intervenção Rápida (FIR) e agentes especiais do Serviço de Informação e Segurança do Estado (SISE). Em números não quantificado, o nosso jornal viu agentes da FIR e Polícia Militar incluindo viaturas de alto calibre a darem voltas pela cidade e seus arredores.

Afinal, em Quelimane apenas estavam de passagem porque o seu destino já tinha sido traçado pelos mandantes. Morrumbala, Milange e Namacurra, são os alvos principais dos agentes da FIR e do Serviço de Informação e Segurança do Estado (SISE). 

Morrumbala, Milange só para citar como exemplos são zonas com forte influência do partido Renamo e por sinal, nestas eleições, Afonso Dhlakama e seu partido ganharam com números expressivos deixando Armando Guebuza e a Frelimo, muito longe. E não só, pegando esta lógica, pode-se ver que a vitória da Renamo e seu candidato não é apenas obra do acaso, resulta sim de que naquelas zonas consideradas como do vale do Zambeze, a Renamo ter muitas influências étnicas, dai que não é qualquer um que pode mudar este cenário.

Dai que quando se fala de manifestações a serem organizadas pela Renamo, logo a prior olham-se estes distritos. Este domingo uma fonte sénior do Ministério do Interior (MINT), confessou a nossa reportagem em off, terem sido enviados agentes da FIR e do SISE naqueles distritos, incluindo até o de Namacurra.

Aquela fonte sublinhou que pela maneira como é que aqueles distritos têm vindo a fazer politica, então tudo indica que as manifestações da Renamo, poderão ter eco e terem aderência, olhando a capacidade de mobilização que os delegados da perdiz naqueles locais tem. “Já temos homens lá e os alvos são os respectivos delegados da Renamo”- disse aquele fonte que reputamos idoneidade.

Dele também ficamos a saber que, para além dos delegados da Renamo nos distritos atrás referenciados, Armindo Milaco, membro sénior daquele partido está na mira. Milaco é visto como um autêntico elefante a abater em caso das manifestações iniciarem, razão pela qual aquele membro do MINT pede para que este não se envolva, ou seja, desista de ser o organizador destas manifestações pelomenos aqui na província da Zambézia.

O distrito de Morrumbala como dissemos nas linhas anteriores, o partido Renamo e seu líder Afonso Dhlakama, gozam de muita simpatia. Aliás, naquele distrito o último conflito armado fez-se sentir com grande incidência e a população daquele distrito sempre foi hostil a Frelimo. Gozando desta fama de que os senas não são pêra doce, Morrumbala tem sido um distrito onde a política se faz sentir a todos níveis. Resultado disso é que o actual administrador distrital é um militar por excelência.

Antes das festas do Natal e do fim de ano, vieram informações segundo as quais, foram vistos homens armados nas matas de Derre e Pinda. As mesmas informações, nem sequer dizem de que lado estes homens pertencem, mas a verdade é essa. Estas informações da existência de homens armados, que alguns dizem serem pertença da Renamo, não deixam o estado moçambicano e sobretudo os que velam pela lei e ordem, com sono.

Razão pela qual, equipas da FIR e SISE estão em constantes movimentações ao nível da Zambézia, na tentativa de não deixarem que a perdiz se manifeste. Por isso, há que tomar cuidados, ao avaliar por aquilo que ouvimos desta fonte do MINT, as coisas não estão como se fala aqui do lado de fora.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!