Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Morais recusa candidatar-se ao município de Quelimane

Ao que o Diário da Zambézia tem vindo a obter como informação em volta da cara da Frelimo para fazer frente ao candidato do Movimento Democrático de Moçambique, MDM, Manuel de Araújo, parece que o director da Universidade Pedagógica, delegação de Quelimane, Manuel de Morais, não quer mesmo estas coisas de política.Provavelmente com razão. Morais teria sido coagido, aconselhado com os ditos pesos pesados no seio da Frelimo para aceitar ser candidato daquela formação política no município de Quelimane.

Todos que o abordavam, Morais, não trocava de palavras e dizia que não estava interessado em “chatices”. Chatices mesmo, herdar problemas de longa data e pior com a idade que o Dr. Morais tem não iria lhe ajudar (se for o caso da desistência). Fez bem ou fez mal para o seu partido? Isso ver-se-á no futuro.

E agora?

Agora joga-se tudo menos nada no seio da Frelimo. Procura-se alguém para enfrentar Manuel de Araújo e como dizíamos na edição desta terçafeira, a Frelimo “bate” cabeça a procura de candidato. Isso mesmo, bater cabeça, porque neste momento os conflitos étnicos voltaram ao de cima.

Os chuabos dizem que depois da saída do Pio Matos, que era chuabo, nada pode ser entregue aos ditos “vientes”. Os chamados vientes, também dizem que não há competente na ala chuabo. O tempo vai passando o relógio vai marcando e o calendário este então, vai mostrando em que data estamos.

Está animar viver em Quelimane nos últimos tempos. Nos bastidores nomes vem todos dias, indicando o possível candidato da Frelimo. Mais há um nome que nos chegou nos últimos dias com muita convicção e ponderamos bastante, porque primeiro não é sonante, mas como se sabe a Frelimo é que fez a a Frelimo é que faz, tudo é possível.

Até um estivador, pode ser um presidente do município. O nome que nos referimos é do actual director provincial adjunto do Plano e Finanças, José Carlos, natural de Quelimane e residente.

Este nome já foi proposto pelo Secretariado do Comité da Cidade ao nível do partido Frelimo, que nos próximos dias vai se reunir para decidir se Zé Carlos (como é conhecido), avança ou não.

Pelos vistos e ao que nos parece, vai mesmo avançar, já que o Morais negou mesmo ser candidato. Por outro lado está a guerra que as mulheres também estão a fazer. Elas dizem que preferiam uma mulher no pódio.

E o nome que se avança é da actual presidente da Assembleia Municipal de Quelimane, Elsa Lampeão, que foi vice enquanto Afonso João, actual edil interino era presidente da Assembleia. Não se fala com força este nome, mas é uma das prováveis mulheres.

A ser verdade…então, pretende-se trazer uma mulher para fazer frente a um homem da oposição? Pelos vistos sim, mas precisa ter créditos firmados para ser presidente da edilidade, não basta ser apenas membro da Frelimo e neste caso ser natural de Quelimane. Isso só não basta, há muita coisa no meio disso.

Está mesmo difícil saber o que a Frelimo está a preparar, mas enquanto o secretismo reina, assim pensam eles, o nome do José Carlos fica em nós como o mais provável depois de Morais ter recusado. Os próximos dias serão decisivos.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!