Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Moçambola: Maxaquene rendido à Liga Muçulmana

A Liga Desportiva Muçulmana de Maputo derrotou o Maxaquene por 3 a 0 em partida de acerto do calendário da 18ª jornada do Moçambola, edição 2013. Em Vilanculos o Costa do Sol continua sem vencer, enquanto o Chingale afunda-se cada vez mais na zona da despromoção.

Foi uma partida bem disputada no inicio, tal como se anteviu. Nos primeiros instantes os dois conjuntos tentaram, a todo custo, abrir o marcador. Mas a Liga Muçulmana, a jogar no seu habitual e infalível sistema táctico baseado no 4 – 3 – 3, conseguiu dominar o meio campo tricolor, assentando o seu ofegante jogo ofensivo.

O Maxaquene, após uma entrada fulminante, limitou-se a jogar no contra-ataque, assente num futebol directo e objectivo. Alinhou neste embante com o seu 4 – 2 – 3 – 1.

Ao fim dos primeiros 45 minutos contabilizaram-se nove remates, dos quais seis pertencentes aos muçulmanos e os remanescentes da equipa tricolor. E a melhor oportunidade de golo desta etapa pertenceu ao Sonito que, depois de um cruzamento magistral de Josimar, cabeceou para o poste de Acácio. Com o nulo no marcador as duas equipas foram ao intervalo.

No reatamento, os dois conjuntos protagonizaram uma partida morna em que, nos primeiros 15 minutos, não protagonizaram nenhum lance digno de realce. O Maxaquene manteve o seu futebol directo e objectivo diante de uma Liga astuta que se socorria à construção e organização das jogadas ofensivas.

Sem pernas, a partir do segundo quarto de hora o Maxaquene desistiu do jogo, fazendo com que o adversário ampliasse o seu caudal ofensivo. Acácio, ao minuto 63, sofreu o primeiro golo da partida num lance em que Sonito se revelou um ponta de lança a mais no futebol moçambicano.

Aquele atleta recebeu o esférico de Josimar na zona da meia-lua; fez um rasgo vertical no meio de dois centrais; aguentou a carga de Campira que o puxava pela camisola para originar uma grande penalidade mas, Sonito, já a cair, rematou para o fundo das malhas. Um golo que não deixou indiferente os adeptos do Maxaquene que aplaudiram a beleza e a maturidade com que foi apontado.

Depois do tento começou o baile, ou seja, como se diz na linguagem desportiva, “um banho de táctica”. Se até ao minuto 70 o Maxaquene não resistia perante a potência dos muçulmanos, imagine-se ao minuto 72 com a expulsão do Campira depois de uma entrada brutal sobre o seu colega de profissão Momed Hagi.

O público que já antevia uma goleada histórica, ainda tentou disfarçar essa previsão invadindo o terreno do jogo para pedir esclarecimentos ao árbitro António Massango. Debalde. As forças de segurança souberam manter a ordem permitindo que o espectáculo prosseguisse normalmente no Zimpeto.

Depois de várias tentativas, ao minuto 77 os muçulmanos da Liga fizeram o 2 a 0 numa jogada que lembrou, a muitos, o Barcelona da Espanha fazendo a bola circular por quase todos os seus jogadores. Os tricolores não passaram de meros espectadores neste lance. O médio-ala Josimar, do lado direito do ataque, depois de um rodopio que tirou de forma humilhante a dois adversários, centrou o esférico para Reginaldo que se deu ao “luxo” de cabecear para o fundo das malhas.

Porque no futebol quem se limita a defender corre um sério risco de sofrer, Momed Hagi, um médio-defensivo impensável para estar no coração da grande área de um adversário, confirmou a incapacidade do Maxaquene de jogar abertamente diante de uma equipa com processos de jogo claros.

Porque, ainda, se tratou de uma vingança do jogo da primeira volta em que, mesmo depois de um baile sem medidas que deram ao Maxaquene que acabou ganhando na secretaria do Conselho de Disciplina da Liga Moçambicana de Futebol, os jogadores da Liga, qual adeptos de si próprios, entoaram o cântico “salanine”.

Com o triunfo, os muçulmanos aumentaram para cinco pontos e um jogo a menos a diferença com o segundo classificado, o Ferroviário da Beira com 34. Nas outras partidas disputadas neste fim-de-semana (29 e 30), o Vilankulos FC derrotou o Costa do sol por 2 a 1, enquanto o Chingale perdeu diante do Estrela Vermelha da Beira por 2 a 0.

Quadro completo de resultados:

Vilankulo FC 2 – 1 Costa do Sol

Maxaquene 0 – 2 Liga Muçulmana

Chingale de Tete 0 – 2 Estrela Vermelha da Beira

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!