Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Moçambola: Matchedje conquista a primeira vitória

O Matchedje de Maputo derrotou, no passado domingo (05), o Maxaquene, campeão nacional em título, por 1 a 0, conquistando, assim, os seus primeiros três pontos na edição 2013 do Moçambola. O jogo era alusivo à sétima jornada, em que o Desportivo de Nacala confirmou o seu estatuto de equipa sensação, mercê da vitória diante do Chingale de Tete.

No campo da Machava, outrora do Maxaquene e hoje do Matchedje, houve muito público que convergiu para apoiar as duas equipas, com destaque para os homens das Forças Armadas de Moçambique (FADM) que, como tem sido apanágio, sempre acompanharam o seu conjunto com a famosa banda militar. Fora das quatro linhas, as duas claques tentaram, a todo o custo, fazer sentir a sua presença o que transformou o ambiente numa verdadeira festa de futebol.

Dentro do rectângulo do jogo, o Matchedje de Maputo foi a primeira equipa a dar indicações de querer sair da Machava com os três pontos, num lance em que Bila, de fora da grande área, testou a atenção do guarda-redes Acácio. Estava jogado o primeiro minuto.

O Maxaquene não respondeu e quando estava ainda à busca de concentração, visto que não conseguia segurar devidamente o esférico, sofreu um golo, volvidos 12 minutos. O médio centro Jamal, mercê de um erro defensivo na zona de marcação da grande penalidade, roubou a bola dos centrais e atirou a contar para felicidade dos militares.

Com o golo, a equipa do Matchedje não abrandou e acelerou ainda mais o passo com vista a ampliar a vantagem. No entanto, encontrou um Maxaquene audacioso, que investia com todas as suas pedras no jogo ofensivo, com destaque para o avançado Maurício a quem Arnaldo Salvado, mais uma vez, incumbiu o papel de concluir as jogadas de ataque.

O melhor lance de golo dos tricolores pertenceu a Payó, transcorridos 33 minutos, quando, à entrada da grande área, desferiu um remate que passou por cima da baliza do Matchedje. Com a bola dividida na zona do meio-campo, o árbitro da partida mandou as duas equipas para o descanso.

Maxaquene perdulário na segunda parte

No reatamento, o Matchedje entrou com a mesma audácia da primeira parte e, num lance similar ao do arranque do encontro, ao minuto 46 podia ter dilatado o marcador com Acácio a ser chamado, mais uma vez, a evitar o pior. Contudo, Arnaldo Salvado entendeu que no lugar de fazer um jogo frontal para suplantar a consistência defensiva contrária, a sua equipa devia explorar os flancos.

Mas foi num lance de bola parada que o Maxaquene deu o primeiro aviso de golo, num livre directo apontado por Gabito em que o guarda-redes Valério foi obrigado a fazer uma defesa em dois tempos. Nesse instante, o goleador Eboh saltou do banco, o que para muitos era o sinal de que estava encontrada a fórmula para o Maxaquene conseguir um melhor resultado.

Ao minuto 54, o mesmo jogador recebeu o esférico à entrada da grande área e rematou frouxo para as mãos de Valério, guarda-redes que, seis minutos mais tarde, por pouco comprometia a sua equipa ao defender de forma insegura a um pontapé forte de Maurício, em que Micas surgiu tardiamente para tirar proveito da sobra.

Um minuto depois, ou seja, ao minuto 61, como que a dar sequência à onda ofensiva tricolor, Eboh, no meio da marcação de três adversários, conseguiu rematar, com muita dificuldade, ao lado da baliza. O Maxaquene não parou e o Matchedje já nem sequer conseguia sair a jogar em contra-ataque.

A oito minutos do fim, pela esquerda do ataque, o médio Eboh ganhou um centro para a cabeça de Betinho que obrigou a mais uma defesa apertada de Valério. Na sequência do pontapé de canto, Eboh voltou à cena ao tocar a bola despropositadamente para fora, numa altura em que a baliza militar estava completamente desprotegida.

Depois desse lance, o Maxaquene desistiu tecnicamente do jogo, passando a circular mais o esférico entre os seus jogadores como forma de, também, forçar o adversário a abrir-se. No entanto, graças a um roubo de bola na zona intermediária, a um minuto dos 90, Acácio, do Matchedje viu, de forma espectacular, a trave a negar-lhe o golo.

Desta maneira, os militares conquistaram os seus primeiros pontos na competição, ainda que a assumirem, isolados, a última posição. Já o Maxaquene sofreu a segunda derrota, passando a ocupar o quarto lugar com doze pontos.

A verdade dos intervenientes

Arnado Salvado

É um resultado que dá mais interesse ao Moçambola, visto que a equipa do Matchedje era a única, até ao momento, sem pontuar. No que diz respeito aos noventa minutos, creio que houve um bom espectáculo, sobretudo pelo público que não deixou de apoiar os dois conjuntos. Nós estivemos muito mal e, num lance de desatenção defensiva, sofremos o golo. Ressentimo-nos das limitações no plantel pois, tal como sabem, temos jogadores castigados e outros lesionados. Mas não será esta derrota que irá abalar o Maxaquene.

Álvaro Matine

Era chegada a hora de pontuarmos neste Moçambola. Os jogadores acataram todas as ideias durante estas duas semanas e cá estamos a colher os frutos. É o recomeço para o Matchedje, e este resultado em particular marca o início da glória.

Desportivo de Nacala derrota o Chingale de Tete

O estreante Desportivo de Nacala no Moçambola derrotou, também no domingo (05), o Chingale por 1 a 0. A equipa do planalto de Tete, que vinha de uma vitória motivadora contra a Liga Muçulmana, ressentiu-se da falta de comando do seu treinador, Rogério Marianni, a braços com problemas de saúde, pelo que não seguiu viagem de Tete à cidade de Nampula.

A equipa canarinha jogou praticamente na defensiva, com um bloco recuado constituído por quatro centrais. Contudo, a “fortaleza” que se havia criado na zona central do Chingale deixou-se abalar, volvidos 36 minutos, quando Coutinho, numa jogada espectacular, conseguiu introduzir a bola no fundo das malhas.

Com este resultado, o Desportivo de Nacala soma doze pontos, ocupando para já a terceira posição na tabela classificativa abaixo do líder HCB de Songo e da Liga Muçulmana, o que lhe confere o título de equipa sensação da competição.

Quadro de resultados

7ª Jornada

Têxtil de Púnguè 0 x 2 Fer. da Beira

Clube de Chibuto 1 x 0 Fer. Nampula

HCB de Songo 1 x 1 Fer. Maputo

Desp. de Nacala 1 x 0 Chingale de Tete

Costa do Sol 1 x 0 Estrela Vermelha

Matchedje 1 x 0 Maxaquene

*Liga Muçulmana – x – Vilankulo FC

* Adiado

Próxima jornada – 8ª

Fer. da Beira x Costa do Sol

Fer. de Nampula x Têxtil de Púnguè

Fer. de Maputo x Clube de Chibuto

Maxaquene x HCB de Songo

Chingale de Tete x Matchedje

Vilankulo FC x Desp. Nacala

Estrela Vermelha x Liga Muçulmana

David Nhassengo

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!