Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Moçambola: a análise da jornada 7

Nada de novo na frente, tudo na mesma atrás: assim vai o campeonato

Nada de novo nas terras da liderança. O Ferroviário ganhou, a Liga também. Tudo na mesma, portanto, com uma subtil diferença: há menos uma jornada para disputar. Os pontos em comum entre os dois primeiros não se ficam por aqui. Ambos entraram bem nos respectivos jogos e não concederam espaços ao adversário.

 

Destes dois jogos, merece especial saliência o jogo da Liga. Quente, efervescente, polémico. Dois golos que Euroflin da Graça acredita terem sido alcançados de forma irregular. O Vilankulo FC acabou a peleja apenas no seu reduto e o técnico anunciou de imediato que “é preciso chamar atenção à equipa de arbitragem, porque é triste quando vemos juízes a trabalharem à favor do nosso adversário”. Os anos passam e a suspeição de uma relação incestuosa entre a Liga e os árbitros permanece enraizada no futebol moçambicano.

Contas do título à parte, a jornada consolidou a candidatura do HCB aos lugares cimeiros do Moçambola 2010, à frente de um extenso pelotão que só acaba cinco pontos mais abaixo, no Desportivo que quebrou o prolongado jejum, que acentuou a crise de um Ferroviário de Pemba cada vez mais descrente.

Um pouco atrás na classificação, o HCB subiu ao terceiro lugar, fruto de uma vitória no reduto do Ferroviário da Beira, em troca com o Maxaquene. A segunda maior goleada da época soou como um aviso do líder: sou o maior candidato ao título. Chiquinho Conde apareceu, na época passada, como um solução provisória e, nesta fase, já têm muitos pontos marcados na consideração dos adeptos locomotivas. Que o digam os quatro golos impostos ao FC Lichinga.

Dos assumidos candidatos ao quinto lugar, preenchido pelo Ferroviário da Beira, ninguém pontuou. O escanzelado 1-0 contra o Matchedje deixou o Sporting no sétimo lugar, em cima do seu adversário de domingo e a dois pontos do Desportivo. A luta promete.

Na zona escura da tabela, o moribundo Costa do Sol alimentou-se de um ponto em Chimoio e continua subnutrido. Tal como o Ferroviário de Pemba, aliás. Os pembenses, 14º na ordem da Liga, têm zero pontos em seis jornadas. No Costa do Sol, a chicotada psicológica só agudizou os males da equipa. Longe, bem longe, vão os tempos dos títulos e, já agora de João Chissano. Contudo, Textáfrica, FC Lichinga e Vilankulos FC não podem ficar descansados, apesar de estarem acima da linha de água.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!