Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Moçambola: 102 minutos de muito Chibuto no relvado do campeão nacional

Moçambola: 102 minutos de muito Chibuto no relvado do campeão nacional

Ao entrar no campo da Liga Muçulmana, as bancadas davam as primeiras indicações de que os noventa minutos subsequentes seriam de – só – Chibuto. Aliás, a sensação com que se ficava era de que, naqueles instantes, nascia um novo Chibuto. O relvado muito bem tratado pelos muçulmanos seria o primeiro “senão” da fantasia. É que cerca de três centenas ou mais, de adeptos do representante de Gaza haviam ocupado as bancadas do campo da Liga incluindo a sua própria área VIP.

Se nas bancadas era – só – Chibuto e seus homens que incansavelmente cantavam e dançavam em manifesto apoio à sua equipa, dentro das quatro linhas o cenário começou diferente. A Liga Muçulmana nos três primeiros minutos podia ter chegado ao golo por duas vezes se não fosse pelo guarda-redes Baía que defendeu com unhas e garras, os remates de Telinho e Josimar. Nervosa e insegura se calhar pela entrada arrojada do seu adversário ou pela sua sobejamente conhecida potencialidade, a equipa de Chibuto respondeu com perigo à entrada do décimo minuto por intermédio de Chana que cabeceou o esférico por cima da baliza.

A Liga não abrandou, manteve o seu jogo circulando a bola e procurando espaços e momentos para chegar ao golo, no entanto observou uma mutação do Chibuto que cresceu em campo sendo mais objectivo e rápido nas transições de bola.

No vigésimo quinto e sétimo minuto, o campo, apesar de ser da Liga, gelou. Foram dois lances perigosos que só não deram em golo porque a sorte pendeu para o lado dos visitantes. Primeiro por Muandro que isolado atirou de cabeça por cima da baliza e segundo por Micas ao lado na sequência de um canto.

Surpreendentemente, Abdul Omar voltou a emendar no sistema de jogo da sua equipa. Se na segunda etapa era mais ousada com bolas directas, desta, mandou os seus pupilos girar mais a bola utilizando as zonas laterais para atacar. Isto não só baralhou a Liga como também relaxou os guerrilheiros que já marchavam ao desgaste físico. Chana no 41º minuto, ainda fez o difícil na cara de Nelinho ao falhar no alvo.

Segunda parte de mais Chibuto e menos Liga   Tal como foi no inicio da primeira, a Liga demonstrou mais garras e vontade de chegar ao golo. Miro de livre directo à passagem do 51º minuto, obrigou a Baía a aplicar-se para evitar o golo. O Chibuto demorou mas acordou. O seu objectivismo falou mais alto e tornou-o superior, todavia pecou no capítulo da finalização. A Liga Muçulmana foi obrigada a aplicar-se na defesa diante da dupla imponderável Chana e Lalá.

O equilíbrio entre as duas equipas surgiu no último quarto de honra da partida. O Chibuto ainda fez a bola beijar o fundo das malhas de Nelinho, contudo a bandeirola sinalizando o fora-de-jogo estava levantada. Miro nos derradeiros minutos da partida, falhou incrivelmente um penálti e na sequência, Chana, já no lado contrário, errou também no alvo com a baliza totalmente escancarada.

Foi um empate com sabor à vitória vivamente festejado nas bancadas, afinal, era o Chibuto a pôr em sentido a bicampeã nacional Liga Desportiva Muçulmana de Maputo. Quanto a nós, resta-nos dizer: Ou a Liga Muçulmana joga para a manutenção ou este clube de Chibuto é que quer o troféu. O tempo nos dirá mais.

Goleada canarinha

Na outra partida que abriu jornada 9 o Costa do Sol recebeu e goleou no seu relvado o Têxtil do Púnguè por 4 a 0. Zé abriu o placar no minuto 19 e Ruben dilatou. Temba fez o resultado final bisando no jogo.

Líder joga clássico com Desportivo

A jornada fica concluída este domingo com o Ferroviário de Maputo a receber no seu relvado o Desportivo de Maputo. Com saldo de seis vitórias e duas derrotas – curiosamente obtidas em clássicos diante do Costa de Sol e do Maxaquene, a locomotiva de Maputo vai colocar em teste nesta jornada a liderança da prova com mais um clássico marcado para domingo a partir das 15 horas na sua catedral da Machava. Joga contra a jovem equipa do Desportivo de Maputo que não soma três pontos a sensivelmente um mês ocupando neste momento a nona posição com 11 pontos.

Ano passado neste mesmo estádio da Machava, as duas equipas bateram-se em jogo a contar para a 11ª jornada tendo saído o Desportivo vencedor através de uma reviravolta que naquela tarde tomou proporções épicas por 2 a 1.

Confira o quadro dos jogos que completam a 9a jornada:

Domingo, 15h. Campo do Desportivo de Tete: Chingale de Tete vs Maxaquene

Domingo, 15h. Campo do G. D. Incomáti: Grupo D. Incomáti vs Vilankulo FC

Domingo, 15h. Campo 25 de Junho: Ferroviário de Nampula vs Ferroviário de Pemba

Domingo, 15h. Campo do Ferroviário da Beira: Ferroviário da Beira vs HCB de Songo

Domingo, 15h. Estádio da Machava: Ferroviário de Maputo vs Desportivo


Acompanhe as emoções destas partidas em directo no TWITTER @verdademz

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!