Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Moçambique e Jaguar Overseas acordam construção do parque de Ciência e Tecnologia

O Governo moçambicano, através do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), acaba de rubricar com a empresa indiana Jaguar Overseas Limited um contrato para a edificação e desenvolvimento do Parque de Ciência e Tecnologia de Moçambique, que inclui um Centro de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica, no distrito da Manhiça, sul do país.

Orçadas em cerca de 25 milhões de dólares norte-americanos, disponibilizados em forma de crédito pelo Governo indiano, as obras de edificação deste parque, que estão desde já a cargo da empresa Jaguar Overseas, arrancam dentro dos próximos três meses, devendo ser concluídas dentro de dois anos (24 meses).

Rubricaram o contrato visando a implementação desta iniciativa, Filomena Dzimba, Secretaria Permanente do MCT, em representação do Governo moçambicano, e K. S. Aswathanarayana, em representação da empresa Indiana Jaguar Overseas, numa cerimonia presenciada pelo ministro do pelouro, Venâncio Massingue.

Falando na ocasião, Massingue disse que a edificação deste empreendimento representa para o país um passo importante rumo a sociedade do conhecimento, porque o Executivo espera que deste parque surjam os “Bill Gates” moçambicanos, para além de permitir que a ligação entre a pesquisa e produção se torne realidade.

A iniciativa, que incorpora também as componentes de Investigação e aprendizagem e uma Incubadora Tecnológica Empresarial, segundo o ministro, insere-se num programa de longo prazo, traçado pelo Governo e destinado a formação de competências em Tecnologias de Informação (TIC) em Moçambique Integram esta iniciativa o Governo, a Universidade Eduardo Mondlane (UEM), o sector privado nacional e internacional e entidades doadoras.

Espera-se que a mesma possa responder as necessidades de quadros qualificados, não só em Moçambique como também na região, através da promoção de um processo de aprendizagem estruturado e de qualidade.

Com a Incubadora Tecnológica Empresarial, segundo Massingue, pretende-se incrementar as competências empresariais, gerando riqueza através da criação de emprego para os formandos assim como para a comunidade científica, estabelecendo a ligação entre os sectores público e privado com vista a desenvolver a indústria.

O parque, explicou o ministro, estará virado para o desenvolvimento de infraestruturas e equipamentos e a promoção de actividades com base no conhecimento nas área das TIC, dando ênfase as tecnologias multidisciplinares e organizações industriais relevantes para as necessidades de Moçambique.

Massingue justificou que a escolheu do distrito da Manhiça como local ideal para a edificação deste centro se deveu ao facto de se tratar de um lugar que está perto de infra-estruturas importantes como são os casos da linha férrea e Estrada Nacional Numero Um (EN1), a existência de um rio nas proximidades, bem como a disponibilidade de uma extensa área que permite a futura expansão do projecto.

A construção do Parque de Ciência e Tecnologia foi aprovada pelo Conselho de Ministros na sessão de 16 de Dezembro de 2008, uma iniciativa que será tutelada pelo MCT através do Instituto de Tecnologias de Informação e Comunicação de Moçambique.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!