Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Moçambique e Brasil ensaiam financiamento para infra-estruturas

Os governos de Moçambique e do Brasil estão a negociar a introdução da componente de financiamento de infra-estruturas nas relações de cooperação existentes entre os dois países. Segundo o secretário do Comércio Exterior do Ministério brasileiro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Ivan Ramalho, o Brasil está interessado em financiar o desenvolvimento de infra-estruturas diversas em Moçambique através das suas instituições financeiras oficiais.

Neste momento, representantes do Governo de Moçambique e altos dirigentes e funcionários do Comité de Financiamento e Garantia das Exportações do Brasil (COFIGE) estão reunidos, em Maputo, para elaborar um projecto financeiro para obras de infra-estruturas em Moçambique, tendo em conta as prioridades. “As negociações estão em curso neste momento.

Uma missão de altos dirigentes e funcionários do COFIGE estão reunidos com as autoridades de Moçambique para elaborar um projecto financeiro que contemple uma obra prioritária para o Governo que possa ser financiada pelo Brasil”, disse Ramalho, acrescentando que “estes projectos serão financiados pelos bancos oficiais brasileiros como o Banco Nacional de Desenvolvimento Económico e o Banco do Brasil”.

Segundo Ramalho, a perspectiva é que, a curto e médio prazos, o projecto seja criado para iniciar a alocação dos recursos. “Depois de identificado o projecto podem ser vistos os valores e, depois, trazer ou fazer a contratação de um ou mais construtoras brasileiras para executar as obras”, sublinhou. Ramalho considera que o Brasil tem experiência na execução de obras de grande engenharia e considera que a introdução desta nova componente na cooperação entre os dois países vai trazer benefícios mútuos. “Achamos que existem perspectivas favoráveis em Moçambique e o Brasil tem uma experiência internacional em obras de engenharia.

Muitas empresas brasileiras já realizam obras de grande engenharia em vários países do mundo. Essa experiência pode perfeitamente ser aplicada aqui em Moçambique e isso vai nos ajudar muito a termos uma aproximação maior entre os Governos e empresários. O benefício não será só para Moçambique mas para o Brasil porque vai gerar empregos para moçambicanos e brasileiros”, enfatizou.

Moçambique e Brasil têm relações de cooperação ao nível político e económico, com o surgimento de empresas brasileiras em investirem em vários sectores, um dos quais o de minerais, onde a firma Vale está autorizada a explorar o carvão de Moatize, na província central de Tete. Igualmente, existe um compromisso entre os governos dos dois países de construir uma fábrica de anti-retrovirais em Moçambique, concretamente em Maputo, com investimento brasileiro, que se espera esteja pronta até 2010.

O custo deste empreendimento está estimado em 10 milhões de dólares norteamericanos disponibilizados pelo governo brasileiro, dos quais quatro milhões se destinam a financiar a primeira fase do projecto. A matéria-prima para a produção dos medicamentos anti-retrovirais virá da Índia, devendo se usar a tecnologia brasileira. Espera-se a produção de oito dos 15 tipos de drogas capazes de serem produzidas com base na tecnologia actualmente usada pelo Brasil.

Além de beneficiar toda a região da África Austral, a fábrica de Maputo irá contribuir particularmente para que os doentes de SIDA em Moçambique tenham aos medicamentos anti -retrovirais.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!