Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Moçambique deixou de ser um país normal

O nosso país, Moçambique, deixou se ser um país normal. Isso porque quando avaliamos os discursos dos políticos, sobretudo daqueles que estão no poder, pode-se concluir que era uma vez Moçambique.

E então, que país temos? Foi assim que o Diário da Zambézia, começou por ouvir o Presidente do Parlamento Juvenil, Salomão Muchanga, que semana passada, escalou pela terceira vez a província da Zambézia, no âmbito dos debates sobre a Constituição da República, que aquele órgão vem efectuando um pouco pelo pais, onde o seu início foi a província nortenha de Nampula.

Para Muchanga, um país que se preze de normal, tem leis que adequam-se a sociedade e não só, por outro lado, os governantes dum país normal tem o mínimo de humildade e vergonha em algumas coisas que pensam em fazer. Mas de acordo ainda com a nossa fonte, neste país, tudo é contrário.

As leis que são feitas, só prejudicam o cidadão em muitos casos. Por exemplo, o presidente do PJ apontou esta questão da revisão da Constituição da República que a bancada da Frelimo na Assembleia da República submeteu a proposta, visto que não se sabe até agora o que se pretende rever, dai giram enormes especulações.

HIV/SIDA um negócio chorudo

Uma das coisas que leva a que Salomão Muchanga conclua que este país deixou de ser normal é a questão do HIV/Sida, doença esta que gera muito dinheiro para o país, mas que na verdade as pessoas padecendo da doença vê migalhas e no final do dia abandonam o tratamento por causa da falta de comida, mesmo sabendo que há muito dinheiro gasto em nome das Pessoas Vivendo com o HIV (PVHS).

Isto, mais outras tantas coisas, não batem bem na cabeça de Muchanga. E quando faz as contas, chega ele a conclusão que o país que temos deixou de ser normal e o que resta é que a Juventude assuma o quinto poder e faça-se valer.

Dai que com este aprofundamento dos debates sobre a Constituição da República que o PJ vem fazendo, espera-se que a juventude esteja preparada para estas eventuais alterações da lei mãe do nosso pais.

“Queremos que os jovens estejam preparados para estas alterações da CRM, dai quando chegar a hora, iremos mostrar que como jovens queremos isto mais aquilo”- disse Muchanga.

Recorde-se que os debates sobre a Constituição começaram em Nampula e na Zambézia, o debate foi na semana passada.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!