Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Ministra da Justiça reconhece “fraquezas” do sector que dirige

A ministra da Justiça moçambicana, Benvinda Levy, reconheceu “fraquezas” do sector judicial, mas apelou à população a não optar pelos linchamentos, garantindo que muito está a ser feito para mostrar que, em Moçambique, “a justiça existe”.

 

 

Benvinda Levy falava numa reunião na cidade de Chimoio, em Manica, Centro, com líderes comunitários e religiosos sobre o problema dos linchamentos em Moçambique.

O Ministério da Justiça de Moçambique lançou, em Outubro passado, uma iniciativa denominada “Campanha de Preservação da Paz” que pretende sensibilizar a população para o respeito à vida, redução dos casos de linchamentos, tráfico de seres humanos e violência doméstica.

No encontro de segundafeira, os participantes apontaram a falta de celeridade da máquina da administração da justiça e o desajustamento das leis como motivos de “promoção dos linchamentos” no país.

“Eu sofri um roubo na rua em Chimoio (Manica), consegui levar dois dos agressores para a justiça e ficaram presos. Enquanto aguardava julgamento, encontrei os mesmos agressores em Quelimane (Zambézia).

Levei-os de novo à justiça e os familiares vieram apresentar mandado de soltura passado pelo juiz por insuficiência de provas”, contou Maneca Tomo, pastor nacional da igreja Elidja Mugodi.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!