Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Ministérios harmonizam acções para promoção da saúde escolar

Os Ministérios da Saúde (MISAU) e da Educação e Cultura (MEC) assinaram terça-feira, em Maputo, capital moçambicana, um acordo de cooperação na área de saúde escolar. O acordo, rubricado por Ivo Garrido e Aires Ali, Ministros da Saúde e da Educação e Cultura, respectivamente, visa harmonizar e coordenar as intervenções dos dois sectores orientadas para crianças (6-9 anos), adolescentes (10-14 anos) e jovens das faixas etárias 15-24 anos.

O acordo surge como forma de actualizar as normas e mecanismos criados para garantir e assegurar a correcta orientação e execução das actividades de saúde escolar, respondendo aos actuais desafios que se colocam à promoção da saúde. Na ocasião, Ivo Garrido disse que os jovens e crianças em idade escolar tem problemas de saúde que devem ser acompanhados com muito cuidado pelas autoridades sanitárias e da educação.

“Acompanhar as crianças e promover a sua saúde requer uma cooperação estreita entre as duas instituições e, para melhor coordenar as acções nesse aspecto, assinamos este acordo”, disse Garrido, acrescentando que “já temos uma base muito forte para avançarmos”. O titular da pasta da Saúde apelou as equipas de especialistas das duas instituições a iniciarem as suas actividades dentro de 30 dias, priorizando o levantamento da situação de higiene e saneamento das escolas.

“Temos que priorizar o levantamento da situação das escolas no que respeita à higiene e saneamento do meio, saber quantas escolas tem abastecimento de água, ver o saneamento e identificar as escolas modelo que são fundamentais para transmitir a experiência para outras”, defendeu. Por sua vez, o Ministro da Educação e Cultura referiu que o seu sector já estava preocupado com a saúde dos alunos por não conseguir, individualmente, pôr em prática acções de promoção da saúde escolar.

“A promoção da saúde escolar vai trazer uma nova qualidade de vida das comunidades através do aluno porque o cidadão será formado em boas práticas. Mas antes temos que formar os professores para que assumam a questão da saúde escolar”, disse. Aires Ali acrescentou que “precisamos conhecer qual é a situação de saúde das crianças para superar os problemas que os alunos enfrentam”.

Aproveitou a ocasião para pedir ao MISAU para apetrechar as escolas moçambicanas com “kits” básicos de primeiros socorros e atendimento rápido para os alunos e professores.

O acordo, que entra imediatamente em vigor, vai abranger as 13 mil escolas existentes em todo o país, sendo válido para um período de cinco anos. Em 2001, o MISAU e MEC assinaram um acordo de cooperação na perspectiva de harmonizar e coordenar intervenções orientadas para as crianças, adolescentes e jovens em idade escolar.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!