Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Milhares manifestam-se no Brasil contra novo Presidente e pedem novas eleições

Milhares de pessoas manifestaram-se na cidade de São Paulo, no domingo, contra o novo Presidente do Brasil, Michel Temer, e para pedir novas eleições presidenciais.

O protesto, convocado pelo grupo Povo Sem Medo, integrado por movimentos sociais, e pela Frente Brasil Popular, composta por movimentos sindicais como a Central Única dos Trabalhadores (CUT), reuniu 100 mil pessoas, na contabilidade dos organizadores. A polícia de São Paulo não divulgou ainda estatísticas.

Enquanto marchavam, os adeptos do protesto gritavam contra o Presidente Michel Temer, recém empossado no Brasil, de todas as formas possíveis. Um grupo cantava a melodia do hino nacional do Brasil usando no lugar da letra apenas a frase “Fora Temer”.

Ao contrário do que aconteceu nos outros cinco actos organizados na semana passada em São Paulo, este contou com o apoio maior e também com a presença de grupos diferentes, com pessoas carregando bandeiras de organizações estudantis, de movimentos sociais, além de muitos casais, grupos de amigos e famílias.

Outra mudança foi o pedido crescente por novas eleições presidenciais, expresso por milhares que aos gritos diziam “Directas já”, uma alusão à campanha que aconteceu no Brasil na década de 1980, com mais força no final do período da ditadura militar, quando a sociedade civil pediu a volta da democracia e do direito ao voto. Hoje, porém, “Directas já” significa o pedido de uma consulta popular para saber se a população quer novas eleições presidenciais, já que Dilma Rousseff, eleita em 2014, foi deposta pelo Senado (câmara alta parlamentar), e uma parcela da sociedade não aceita Michel Temer como substituto.

Gregório de Sousa, 18 anos, estudante, disse à Lusa que aderiu ao ato porque discorda da destituição de Dilma Rousseff. “Foi um erro tirarem a Dilma [Rousseff], uma Presidente eleita com 54 milhões de votos, isto para mim foi um golpe não contra ela, nem contra o Partido dos Trabalhadores, mas contra toda a sociedade brasileira”, disse.

Sobre o apelo a novas eleições, afirmou que ainda não se decidiu. Já Beatriz Meneghesso, 18 anos, estudante, declarou à Lusa é a favor da realização de novas eleições. “Sou a favor de novas eleições, mas confesso que tenho medo que a população coloque no poder um candidato conservador. Não sou a favor do PT, mas o [Michel] Temer realmente não dá”, declarou.

Enquanto a reportagem da Lusa seguiu o protesto não houve registo de violência nem da parte da polícia nem dos manifestantes. Ao longo deste domingo outros actos contra o Presidente Michel Temer aconteceram nas cidades do Rio de Janeiro, Salvador e Curitiba.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!