Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Milhares de partidários de Mussavi protestam apesar da proibição

Milhares de partidários de Mussavi protestam apesar da proibição

Milhares de partidários do candidato presidencial iraniano derrotado Mir Hossein Mussavi se manifestaram pacificamente nesta segunda-feira no centro de Teerão para protestar contra a reeleição do presidente Mahmud Ahmadinejad, apesar da proibição oficial imposta à manifestação.

Mussavi, que contesta a vitória do líder ultraconservador, participava da manifestação a bordo de um carro junto com o candidato reformador Mehdi Karubi. Ele se disse disposto a “participar novamente de uma eleição presidencial”. O ex-presidente reformador Mohammad Khatami também devia comparecer ao protesto.

Segundo o seu irmão, ele quer continuar com a contestação até que o resultado da eleição seja anulado. O guia supremo, Ali Khamenei, que elogiara o resultado da votação, pediu a Mussavi, ex-primeiro-ministro e conservador moderado, que continue protestando apenas por vias legais. Os manifestantes marcharam da praça Enqelab à praça Azadi, a alguns quilômetros de distância, gritando “morte ao ditador” e “os iranianos preferem a morte à humilhação”, e expressando apoio a Mussavi.

Uma centena de policiais posicionados na praça Enqelab não interviram, mas a rede de telefonia móvel foi cortada na zona do protesto. Muitos manifestantes ostentavam camisetas ou faixas verdes, a cor de Mussavi, com a inscrição: “Onde está meu voto?”. “Esta não é a primeira vez que protesto”, afirmou Mehdi, 40 anos, expressando a esperança de que Mussavi “resista até o fim”. “Espero que a polícia e a milícia islâmica se comportem de maneira civilizada”, disse Fahar, uma jovem estudante de 21 anos, depois dos violentos enfrentamentos do fim de semana passado entre manifestantes e forças da ordem.

A televisão estatal não mostrou uma única imagem da manifestação, e sequer a mencionou. As agências de notícias do país, tanto estatais como privadas, fizeram o mesmo. A TV divulgou o resumo de um encontro, domingo, entre o guia supremo Khamenei e Mussavi, durante o qual o candidato foi advertido.

“Você deve seguir adiante pelas vias legais”, disse o guia supremo, referindo-se ao recurso interposto domingo por Mussavi ante o Conselho dos Guardiões da Constituição para obter a anulação dos resultados. O Conselho se reunirá com Mussavi na terça-feira, informou um porta-voz da entidade.

O rival de Ahmadinejad insiste em que a eleição, marcada pela vitória esmagadora do presidente com 62% dos votos, foi afetada por graves irregularidades. O jornal de Mussavi, o Kalameh Sabz, foi suspenso pelas autoridades nesta segunda-feira. Além disso, cerca de 200 parentes de manifestantes detidos após os tumultos de sábado exigiram sua libertação diante do tribunal revolucionário de Teerã, antes de se dispersar pacificamente.

O presidente Ahmadinejad adiou para terça-feira uma viagem à Rússia prevista para hoje. Os ministros das Relações Exteriores da União Europeia pediram ao Irã que investigue a eleição e lamentaram “o uso da força contra manifestantes pacíficos”.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!