Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Matola: taxa de lixo somente para tratamento de resíduos

A receita proveniente da taxa de lixo colectada mensalmente aos munícipes da cidade industrial da Matola, província de Maputo, Sul de Moçambique, passará a servir exclusivamente a recolha e tratamento de resíduos sólidos. 

O facto foi anunciado hoje na Matola pelo Presidente do Conselho Municipal daquela urbe, Arão Nhancale, no decurso da III Sessão Ordinária da Assembleia Municipal. Na ocasião, ele explicou que se trata de uma comparticipação exclusiva dos munícipes para os serviços de recolha e tratamento de lixo que era aplicada em outros fins. Ao todo, segundo Nhancale, a edilidade colecta, através das facturas de energia eléctrica, entre 1,7 e 1,8 milhão de meticais de comparticipação dos munícipes.

Estes querem ver este mesmo valor aplicado nos serviços para o qual é destinado. Nhancale deixou claro que parte deste valor era desviado para outros fins, afirmando que o valor colectado, embora exíguo, se for aplicado no seu todo na actividade a que se destina poderá ajudar, de certa maneira, a se resolver paulatinamente os graves problemas de proliferação de lixo na Matola.

O Município da Matola, segundo o censo de 1997, possui uma população composta por mais de 427 mil habitantes, dos quais 39 por cento vive na zona urbana, isto é com energia eléctrica garantida ou que comparticipa na recolha de lixo. Nhancale disse que apesar das dificuldades na recolha e tratamento do lixo, a edilidade esta a realizar uma campanha que consiste em atacar os principais focos de concentração de lixo, quinzenalmente. “Ao mesmo tempo, estamos a realizar campanhas de sensibilização sobre procedimentos de tratamento de lixo, envolvendo secretários dos bairros, chefes de quarteirão, entre outros”, revelou Nhancale.

Estes esforços, segundo Nhancale, estão a emperrar pelo facto de a Matola estar a receber lixo de outros pontos. “Não se justifica que se faça a remoção de grandes quantidades de lixo num sítio para dois ou três dias depois, o mesmo lixo voltar aparecer e em mesmas quantidades”, explicou ele.

Para combater este fenómeno, o Edil apelou aos munícipes da Matola para manterem vigilância serrada contra este fenómeno que, segundo ele, tende a ganhar terreno e que esta já a inquietar as autoridades municipais. Intervindo na sessão em questão, os deputados da Assembleia Municipal pediram a edilidade para intensificar ainda mais as campanha de recolha, introdução de jornadas de limpeza aos fins-de-semana e expansão dos serviços de recolha para mais zonas como é o caso da Machava e Infulene, ainda não abrangidas.

O encontro cujo término este agendado para Sexta-feira, destina-se a analisar o grau de cumprimento das actividades realizadas durante o segundo trimestre de 2009, devendo ainda proceder a revisão do Orçamento municipal.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!