Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Maputo/Matola/Boane: expansão do sistema de abastecimento de água na fase conclusiva

As obras em curso no âmbito do Projecto de Reabilitação, Reforço e Expansão do Sistema de Abastecimento de Água ao distrito de Boane e Municípios de Maputo e Matola, na província de Maputo, estão na sua recta final, prevendo-se que, no segundo semestre do presente ano, as populações abrangidas possam beneficiar da água resultante desta iniciativa.

O facto foi confirmado, quinta-feira, na Matola, pelo Presidente do Fundo de Investimento e Património do Abastecimento de Agua (FIPAG), Nelson Beete, durante a cerimónia de inauguração de oito pequenos sistemas de abastecimento de água em cinco bairros do município da Matola.

Segundo Beete, a conclusão deste projecto e outros projectos em curso em Moçambique vao ajuda o país a cumprir os Objectivos do Desenvolvimento do Milénio, no concernente a provisão do precioso líquido.

“Esperamos que as metas do Milénio venham a ser alcançadas. Estamos agora a concluir o grande projecto de abastecimento de água a Matola, Maputo e Boane e, no segundo semestre, vamos começar a fornecer a água através desses sistema”, disse Beete.

Refira-se que, a luz das Metas do Milénio, a taxa de cobertura no concernente ao abastecimento de água deverá atingir 70 por cento da população urbana até 2015.

O projecto em referência está orçado em 95 milhões de Euros, co-financiado pelo Banco Europeu de Investimentos, União Europeia, Governo da Holanda através do Programa ORET, Agência Francesa de Desenvolvimento e Governo de Moçambique.

As obras compreendem a ampliação da estação de tratamento de água do Umbelúzi para permitir uma produção adicional de 96.000 metros cúbicos/dia, construção de 19 quilómetros de um nova conduta de transporte de água do Umbelúzi para Matola e melhoria das condutas existentes, construção de novos centros distribuidores em Tsalala, Boane, Ka Tembe, Belo Horizonte e Matola Rio.

O trabalho compreende ainda a instalação de cerca de 600 quilómetros de rede para abastecer os bairros de Tsalala, Malhampsene, Sikwama, Tchumene, Beluluane, Matola-Rio, Belo Horizonte, Vila de Boane, Massaca e Picoco.

As previsões indicam que, num futuro breve, a barragem dos Pequenos Libombos, onde é captada água consumida em Maputo, Matola e Boane será incapaz para suprir a demanda, como consequência do rápido crescimento populacional, razão pela qual impõe-se a adopção de outras alternativas.

A este propósito, Beete revelou que está em preparação um projecto que visa o aproveitamento da água da barragem de Corumana, no posto administrativo de Sabié, distrito da Moamba, província de Maputo. No âmbito do referido projecto, prevê-se a construção de uma nova estação de tratamento naquele distrito.

“Estamos a usar agora aquilo que é a capacidade da barragem dos pequenos Libombos e, depois, vamos complementar com a capacidade a instalada na barragem de Corumana”, explicou.

A barragem de Corumana e a de Moamba Major são consideradas como fulcrais para garantir o abastecimento de água à cidade de Maputo e ainda para acomodar o desenvolvimento previsto nos próximos 20 a 50 anos. Beete revelou ainda que o projecto da barragem de Chicamba, no centro do país, também está na fase conclusiva.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!