Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Maputo Shopping Center definha

O Maputo Shopping Center, na Baixa de Maputo, está a ressentirse cada vez mais das acusações imputadas pelos Estados Unidos ao seu dono, Momade Bachir Suleman: os bancos fecharam e há lojistas que querem sair por falta de clientes. No início de Junho passado, o Governo norte-americano colocou o empresário moçambicano na sua lista de “barões da droga” e ordenou o congelamento de eventuais bens em território dos Estados Unidos, proibindo negócios de cidadãos ou empresas americanos com o moçambicano, um dos grandes apoiantes do partido no poder, FRELIMO.

Segundo o comunicado então divulgado na página da Internet da Casa Branca, “Momade Bachir Suleman lidera uma rede bem financiada de tráfico de narcóticos e de lavagem de dinheiro, centrado no grupo empresarial propriedade da sua família, Grupo MBS Limitada”, do qual faz parte o Maputo Shopping Center.

Apesar de ser o maior centro comercial de Moçambique e de não alojar qualquer empresa com capitais norte-americanos, desde que o empresário moçambicano foi acusado de ser um “barão da droga” os balcões dos três bancos que aí funcionavam fecharam.

O primeiro caso aconteceu a 21 de Junho com o Banco Comercial de Investimento (BCI), instituição detida pela Caixa Geral de Depósitos, seguindo-se o londrino Barclays Bank, a 23, e o Millennium bim, maioritariamente do BCP, a 1 de Julho.

Consequentemente, deixou de haver também caixas de multibanco no centro comercial e algumas lojas já não permitem sequer pagamentos electrónicos. Os comerciantes mantêm as portas abertas, mas, de acordo com alguns deles, não se sabe até quando.

Segundo o que a Lusa verificou, as vendas têm diminuído e já há quem procure outro lugar para instalar a loja, apesar dos cartazes que anunciam 50 porcento de desconto. O rés-do-chão, onde está situado o supermercado, parece ser o piso onde ainda existe um maior fluxo de movimento.

A Lusa tentou falar com Momade Bachir Suleman, mas o empresário não se mostrou disponível para tal. No centro comercial, os jornalistas também não são bem vindos, e filmagens do local, ainda que de longe, são prontamente boicotadas.

Momade Bachir negou na altura todas as acusações, mas desde o mês passado que não presta declarações nem aparece publicamente.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!