Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Manica: cobrança coerciva dos mutuários dos “sete milhões”

O governo da província central de Manica vai recorrer, a partir deste ano, a medidas coercivas para recuperar os valores em dívida na posse dos mutuários dos “7 milhões” que, deliberadamente, não honram os seus compromissos de reembolso. A governadora de Manica, Ana Comoane, disse que, uma vez gorada a sensibilização, o Governo não vai continuar a pactuar com indivíduos que não pagam as suas dívidas, comprometendo o espírito e a letra da iniciativa, que e’ a necessidade de rotação dos fundos para abranger mais pessoas.

 

 

Entre as medidas anunciadas, o Executivo de Manica pretende mandar descontar mensalmente dos salários dos mutuários trabalhadores ou pensionistas os valores em dívida e para os não trabalhadores está a estudar outras formas de recuperação do dinheiro, que incluem o estabelecimento de mecanismos fiscais que permitam o retorno dos valores em dívida.

No distrito de Tambara, o Conselho Consultivo do Posto Administrativo de Nhacafula, mandou descontar da pensão do antigo combatente, Bungatane Scasse, parte do seu salário como forma de devolver compulsivamente os mais de 300 mil meticais que lhe foram atribuídos.

Segundo o matutino “Noticias”, Scasse, além de não cumprir com o plano de reembolso, “desviou” a aplicação do valor para iniciativas não previstas no seu projecto de investimento.

Ele pediu, num comício em Nhacafula, explicações à governadora de Manica sobre a justeza do procedimento, questionando sobre como tal medida poderia ser executado para os mutuários não pensionistas e não trabalhadores.

O mutuário em causa alegou, sem entrar em detalhes, que não estava a devolver o dinheiro porque deparou com problemas ao longo da implementação do seu projecto, tendo a governadora, em jeito de resposta, dito que o visado devia “conformar-se com a ideia”.

“Esta é a única alternativa encontrada para recuperar os valores em dívida”, disse a governadora, destacando que muitos, na mesma situação, deverão conhecer a mesma sorte, no quadro das medidas compulsivas que deverão ser implementadas para recuperar os valores das mãos de mutuários desonestos.

Em declarações a jornalistas no final da sua visita aos distritos de Tambara, Guro e Macossa, Comoane disse ser inaceitáveis os actuais níveis de reembolsos, sublinhando que “muitos dos que não pagam o fazem deliberadamente, desenhando justificações infundadas para ludibriar a atenção das autoridades responsáveis pelas cobranças”.

No global, a media provincial de reembolsos situa-se na ordem de dois por cento e no posto administrativo de Nhacafula, onde a respectiva chefe, Sidalia Jo, introduziu, de forma pioneira, a medida de descontos directos dos salários dos devedores os índices de reembolso melhoraram significativamente.

Dos 188.61 milhões de meticais desembolsados, ao nível de toda a província, desde que este fundo entrou em vigor, apenas foram reembolsados 24.064.65 milhões de meticais e pelo menos 164 milhões de meticais são dados como “perdidos”.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!