Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Manchester vence Arsenal pela marca mínima

Manchester vence Arsenal pela marca mínima

Manchester United, o atual campeão da Ingleterra e da Europa, foi bem superior no primeiro choque contra um inofensivo Arsenal pelas semifinais da atual edição da Liga dos Campeões, mas teve que se contentar com uma vitória magra, por apenas 1-0, no seu estádio de Old Trafford.

Os Red Devils de Alex Ferguson mostaram um jogo fluido durante os 90 minutos, exercendo um domínio absoluto, maior que o do Barcelona no seu empate sem golos com o Chelsea na terça-feira.

No entanto, a diferença para os catalães de “Pep” Guardiola, que precisam de um mais golos em Stamford Bridge na próxima terça-feira 5 para se classificar à final de Roma, é que o clube de Ferguson precisa apenas de um empate sem golos no Emirates Stadium dos Gunners para disputar, pela segunda vez consecutiva, o título da Liga dos Campeões. “Poderíamos ter feito quatro golos, mas se perguntassem antes da partida, teria dito que queria a vitória simples mas sem sofrer golos. Não se pode ter tudo na vida”, disse Ferguson.

 

O Arsenal pagou caro seus desfalques na defesa. Os franceses William Gallas e Gaël Clichy foram substituídos por Mickaël Silvestre e pelo quase novato Kieran Gibbs. Aos 17 minutos, o irlandês John O’Shea marcou o único golo da partida, com um remate indefensável, ao receber um passe rasteiro de Michael Carrick, e com o guarda redes espanhol Manuel Almunia abandonado pela sua defesa.

O resultado agradou ao técnico do clube londrino, Arsène Wenger. “O lado bom das coisas foi que sofremos apenas um golo. Temos uma boa chance de vencer em casa”, disse Wenger, reconheendo que a sua equipe não esteve bem nesta quarta-feira. “Não criamos o suficiente, mas agora o importante é refletir sobre o jogo da próxima terça-feira. Eles poderiam ter marcado um segundo golo, mas Almunia esteve sensacional”, disse.

O guarda redes do Arsenal também foi exigido num excelente cabeçada de Wayne Rooney, depois de um centro da direita de Darren Fletcher. O argentino Carlos Tévez e o português Cristiano Ronaldo também colocaram o espanhol para trabalhar com duas cabeçadas, sempre depois de lançamentos do setor direito.

O domínio dos Reds Devils foi absoluto, mas não conseguiram um marcador maior, o que não lhes deixa muito tranquilos para o jogo da segunda mão no estádio londrino.

Público: 75.000

Árbitro: C. Larsen (DIN)

Manchester United: Van der Sar – O’Shea, R. Ferdinand (cap.) (Evans 88), Vidic, Evra – Fletcher, Carrick, Anderson L. (Giggs 67) – Cristiano Ronaldo, Rooney, Tévez (Berbatov 67). Treinador: Alex Ferguson

Arsenal: Almunia – Sagna, Touré, Silvestre, Gibbs – Walcott (Bendtner 71), Song, Fábregas (cap.), Diaby, Nasri – Adebayor (Da Silva 83). Treinador: Arsène Wenger.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!