Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Mamparra da Semana: Leopoldo da Costa

Mamparra of the week: Saqueadores do Estado moçambicano

Meninas e Meninos, Senhoras e Senhores, Avôs e Avós

O Mamparra desta semana é o presidente da Comissão Nacional de Eleições (CNE), João Leopoldo da Costa, que anunciou a pretensão de concorrer à sua própria sucessão naquele órgão, que tem por atribuições velar pelos processos eleitorais no país. Mas porquê, Mamparra?

Porque durante o mandato que agora vai findar, João Leopoldo da Costa era obrigado por lei a estar em regime de exclusividade naquele órgão, mas porque, se calhar, não havia nenhuma lei de probidade pública, ele esteve simultaneamente revestido nas funções de Reitor do Instituto Superior de Ciências e Tecnologias de Moçambique (ISCTEM).

A propósito desta mamparrada, da Costa foi várias vezes chamado à consciência, mas ele preferiu trilhar esse caminho das trevas, para gáudio do seu bolso.

Que país é este afinal, onde uma figura, mesmo depois de ter dados tantos pontapés à legislação, ainda quer manter-se num lugar tal como aquele? Quem trava este tipo de impunidades de alguém que se vai recandidatar em nome da Organização Nacional de Professores, esta nobre classe de formadores de homens do amanha?

Será que os professores, que dia-a-dia, faça sol ou faça chuva, estão de facto solidários com esta recandidatura de alguém que ignorou uma lei?

A ficha deste mamparra é rica e extensa. Na jovem história da democracia moçambicana, foi sob a sua “eloquente” direcção à frente aos destinos da CNE que, duma só assentada, o Movimento Democrático de Moçambique (MDM) viu oito das suas 12 listas serem deitadas no caixote de lixo por alegadas irregularidades.

Apesar desta mamparrada, lá os “novatos” do MDM conseguiram ter alguns assentos na Assembleia da República.

Após ser eleito para o cargo que acumulava, apesar de proibido por lei, lá nós outros tivemos a oportunidade de o ver equipado com a camiseta do partido do “Batuque e da Maçaroca” no congresso dos camaradas em Quelimane.

Na função de Reitor, da Costa ainda foi agraciado com um prémio na Irlanda, país que de certeza não sabia que tinha diante de si o simultaneamente presidente da Comissão Nacional de Eleições de Moçambique!

Basta deste tipo de mamparrices.

Mamparras, mamparras, mamparras.

Até para a semana, juizinho e bom fim-de-semana!

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!