Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Mamparra da semana: José Nhantumbo

Mamparra of the week: Saqueadores do Estado moçambicano

O Mamparra desta semana é um tal José Nhantumbo. Ao que se reporta, é director da cadeia distrital de Moamba. Nhantumbo, que se estreia nestas lides dos mamparras, ao subir ao lugar mais alto deste tipo de candidatos infindáveis, porque crónicas que bastem o indiciam, de a seu bel-prazer, investido nas suas funções de funcionário do Estado, ter, vezes sem conta, levado parte dos reclusos daquela unidade prisional para fazerem “limpezas” na sua quinta particular.

Em algum lugar Nhantumbo, o tal José, terá aprendido este tipo de prática repugnante, abjecta e vergonhosa num festival de mamparras da mais alta estirpe. Quem foi que o ensinou, que os guardas prisionais podem servir os seus caprichos domésticos?

Se ninguém o ensinou, oferecendo-lhe o beneficio da dúvida, como foi que ele voou tão alto, ao ponto de poder fazer exclamar, com esta mamparrice, aos mais alto dignitários da nação?

A mamparrada é de tal forma graúda, que os reclusos, que Nhantumbo confunde com os seus bens pessoais, depois de usados e abusados, retomam ao lugar onde tem ficado a escória da sociedade.

Os funcionários da Penitenciária de Moamba andam algo estupefactos perante tamanha barbaridade, a qual urge que a Procuradoria-Geral da República (PGR) ponha termo antes que isso vire moda, uma mamparrice sem igual.

As abundantes crónicas rezam ainda que o mamparra do Nhantumbo, o José, depois de os reclusos terem regressado, ordenou para que fossem agrupados em “brigadas”.

De acordo com o jornal Público, que dá conta da “estória”, “Nhamtumbo defende a sua medida alegando que esses reclusos devem ser enquadrados em brigadas porque merecem votos de confiança pelo trabalho desempenhado”.

Isto é, os reclusos trataram bem da sua quinta e José Nhamtumbo continua calmo e sereno como se não tivesse acontecido nada.

Chamado a exercer o seu direito ao contraditório, o mamparra do director da Peniteciária de Moamba andou a esquivar-se.

Onde estamos nós metidos?

Que tipo de gente é esta?

Quem lhes dá suporte, complacência para tamanhas mamparrdas?

Quem os pode deter? A PGR? Podemos confiar nela?

Ninguém, mas ninguém mesmo merece ter líderes desta estirpe.

Mamparras, mamparras e mamparras.

Até para a semana!

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!