Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Mambas: Houve “masoquismo” em Windhoek

A selecção nacional qualificou-se para a derradeira fase de apuramento para o Campeonato Africano de Futebol para Jogadores Internos, o CAN-Interno, 2014. Contudo, o triunfo dos moçambicanos, diante da Namíbia, só foi decidido na marcação de grandes penalidades.

O “masoquismo”, ou seja, “o gosto pelo sofrimento”, parece ter-se enraizado no seio do combinado nacional. E o que parecia (quase) impossível, aconteceu. Depois de terem derrotado a Namíbia em Maputo, por 3 a 0, uma semana depois, já a contar para a segunda “mão” no Sam Nujoma Stadium de Windhoek, os Mambas perderam pelo mesmo resultado.

Aliás, diga-se, em abono da verdade, que o guarda-redes Soarito, bem como o poste da sua baliza, evitaram mais uma vergonha nacional, pois, quando a nossa selecção precisava deles para não sofrer mais golos, estiveram presentes. Com a eliminatória empatada ao fim dos noventa minutos, a mesma só podia ser decidida na marcação de grandes penalidades, onde, uma vez mais, Soarito soube “honrar da pátria” ao defender o terceiro remate da equipa da casa.

Com um saldo positivo em quatro tentativas, Gabito marcou o quinto e o último lance que deu o triunfo aos moçambicanos. Ultrapassada esta fase, segue-se a próxima, a última, em que Moçambique terá pela frente a selecção da Angola.

A primeira “mão” desta eliminatória terá lugar em Maputo no fim-de-semana de 24 a 25 do mês em curso, enquanto a segunda está marcada para a semana seguinte, ou seja, entre 31 de Agosto e 01 de Setembro.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!