Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Mais de 15 mil camponeses beneficiam de crédito agrícola

Cerca de 15 mil camponeses moçambicanos, maioritariamente das zonas Sul e Centro do país, estão a beneficiar de créditos agrícolas, no âmbito do Programa de Apoio a Finanças Rurais.

 

 

Este projecto é avaliado em 34.2 milhões de dólares americanos (USD) e é financiado pelo Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola (IFAD, sigla inglesa) em parceria com o Banco Africano de Desenvolvimento (BAD). O mesmo está integrado no Fundo de Apoio à Reabilitação da Economia (FARE).

De acordo com Rufino Duvane, do FARE, o número de beneficiários poderá aumentar a partir de 2011, com a expansão do projecto para a zona Norte. A meta é atingir pelo menos 30 mil produtores em todo o país até 2012.

O interlocutor, que falava hoje, em Maputo, à margem do “workshop” sobre a implementação dos projectos e programas financiados pelo IFAD, fez saber que os financiamentos são atribuídos aos produtores através de instituições micro – financeiras.

Neste momento, estão envolvidas no projecto 41 instituições, um número que poderá aumentar devido à grande procura que se regista nos últimos tempos.

“Neste momento temos no projecto 41 instituições de micro-finanças, mas o número pode aumentar para 55 porque há muitas propostas ainda em avaliação. Em termos de beneficiários directos, temos cerca de 15 mil, maioritariamente nas zonas Sul e Centro do país” disse Duvane.

Ele acrescentou que “pretendemos expandir estes serviços para a zona Norte e, nos próximos dois anos, esperamos atingir uma cobertura total das zonas rurais. Neste momento estamos a trabalhar na divulgação do programa para atrair mais produtores”.

Por sua vez, o Coordenador do Programa Nacional de Desenvolvimento Agrícola (PROAGRI), Fernando Songane, disse que o programa veio resolver o problema de acesso ao crédito por parte dos camponeses.

“O Programa de apoio a finanças rurais visa criar capacidade para que os produtores possam receber financiamento e fazer a devida gestão dos recursos para evitar o problema de reembolsos.

A carteira de reembolso está abaixo de 10 por cento”, disse Songane. Segundo a mesma fonte, muitas instituições micro – financeiras cresceram e se desenvolveram ao nível deste programa.

O objectivo deste programa é incentivar a expansão e o surgimento de instituições financeiras nas zonas rurais, garantindo o acesso sustentável a serviços financeiros por parte de indivíduos, grupos e empresas que actuam naquelas zonas.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!