Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Mais de 120m cúbicos de madeira vendida em hasta pública em Nampula

A venda de toros de madeira, entre os quais de espécies preciosas, apreendidos na posse de operadores florestais ilegais pelo sector de fiscalização dos serviços provinciais de Florestas e Fauna Bravia em Nampula, rendeu aos cofres do Estado um montante estimado em 217 mil meticais correspondentes a cerca de 120,265 metros cúbicos daquele produto.

O processo de venda em haste pública daquelas quantidades de toros de madeira de espécies preciosas e de primeira qualidade, nomeadamente paurosa, pau-preto arrancou há cerca de um mês, segundo Domingos Ramussa, do departamento do património da direcção provincial do Plano e Finanças.. Entretanto, o montante arrecadado para os cofres do Estado, como resultado da venda daquela quantidade de toros de madeira corresponde a metade do valor real da madeira, tendo em conta a sua espécie cuja tabela de preços foi revista pelas autoridades competentes.

Quando um produto vai à terceira praça para o seu abate, o valor estimado para a sua arrematação é estimado em metade em relação ao seu custo inicialmente fixado pela comissão de avaliação, que integra técnicos dos sectores da agricultura e do plano e finanças, segundo detalhou Domingos Ramussa. A depreciação dos toros que se encontravam expostos ao sol e à chuva nos locais onde foram depositados após a sua apreensão na posse de operadores florestais ilegais, parte dos quais provenientes da província central da Zambézia, é tida por técnicos do sector de florestas como sendo a razão da fraca concorrência de interessados pela sua aquisição.

A necessidade para a venda da madeira em toros foi despertada pelo nosso jornal, que publicou recentemente um trabalho reflectindo o sentimento negativo da sociedade civil nampulense relativo ao abandono e consequente risco de deterioração que o produto incorria numa altura em que muitos alunos estudam sentados no chão por falta de mobiliário escolar.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!