Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Governo da África do Sul redobra esforços junto à fronteira com Moçambique

O Governo sul-africano entregou à Estrutura Nacional de Operações Conjuntas e Informação (Natjoints) a coordenação do combate contra a caça furtiva de rinocerontes, bem como o reforço dos recursos a utilizar no futuro.

Polícia e forças armadas actuam lado a lado com os “rangers” no Parque Nacional Kruger, na fronteira com Moçambique, desde 30 de Maio, numa operação coordenada pela Natjoints e que já alcançou alguns sucessos na localização, detenção e mesmo na morte de alguns caçadores furtivos, disse a porta-voz daquele organismo em comunicado emitido esta quinta-feira. “Os caçadores furtivos de rinocerontes, que estão bem equipados com armas de grande calibre, encontrarão a devida resistência nesta nova parceria entre a Polícia, as forças armadas e os guardas dos parques nacionais”, afirma a brigadeira Sally de Beer no comunicado.

Resultados Na passada sexta-feira foram detidos dois caçadores furtivos que teriam morto dois rinocerontes brancos e removido os seus cornos. Ambos serão presentes a tribunal e acusados de caça ilegal, posse de armas e munições, invasão de propriedade privada e tentativa de assassínio. Durante o fim-de-semana, outros quatro suspeitos de caça furtiva foram detidos na zona do Parque Nacional Kruger. Na sua posse foram encontradas espingardas automáticas AK-47 (Kalashnikov), munições e equipamento de transmissões.

De Beer disse ainda que as autoridades vão fazer os possíveis para evitar que aos caçadores furtivos seja facilitada a libertação sob caução, e tentar garantir que todos recebam duras sentenças nos tribunais. A 18 de Abril quatro outros caçadores furtivos, dois dos quais moçambicanos, foram igualmente encurralados no Parque Nacional Kruger, e no dia seguinte dois outros suspeitos foram mortos a tiro pela Polícia sul-africana, depois de terem apontado as suas armas aos agentes que os tentavam deter. Segundo o presidente dos Parques Nacionais Sul-Africanos, David Mabunda, só este ano foram já mortos 71 rinocerontes nas reservas da África do Sul. Desse total, 46 foram mortos no Kruger National Park. O número de animais mortos tem aumentado tremendamente em tempos recentes, levando as autoridades a mobilizar recursos crescentes para proteger a reduzida população de rinocerontes existente na África do Sul. Em 2010 foram mortos 333 rinocerontes, contra 122 em 2009 e 83 em 2008.

Os gangues envolvidos na caça furtiva desta espécie operam em território sul-africano e também a partir de Moçambique. As operações são muitas vezes conduzidas com precisão militar, envolvendo meios terrestres e até helicópteros, vistos em algumas ocasiões a sobrevoar reservas, públicas e privadas, onde são posteriormente encontradas as carcaças dos animais, com os cornos serrados, ou os animais ainda vivos, mas com os cornos amputados.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!