Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Lioness Lean in Breakfast dá visibilidade às mulheres empreendedoras e cria redes de negócios

Lioness Lean in Breakfast dá visibilidade às mulheres empreendedoras e cria redes de negócios

Foto de Fim de SemanaCom vista a inspirar as mulheres a tirarem proveito das oportunidades de negócio existentes no mercado nacional, e não só, a Incubadora de Negócios do Standard Bank acolheu, recentemente, a sétima edição do Lioness Lean in Breakfast, uma iniciativa que consiste na partilha de experiências entre empreendedoras moçambicanas já estabelecidas, bem como na criação de redes de contacto entre as participantes.

Trata-se de um evento periódico, organizado pela Lionesses of Africa, em parceria com o Standard Bank e a Embaixada do Reino dos Países Baixos, que visa dar mais e maior visibilidade às empreendedoras moçambicanas, e, por via disso, alargar o seu acesso ao mercado e ajudá-las a criar redes de negócio.

Esta edição teve como oradoras Íris Munguambe (fundadora da Mariée, Assessoria e Logística de Eventos), Maria Cuco (fundadora da EclaServices e da Cucu’slucian Lavandaria), Patrícia Monteiro (fundadora da Patatufes – design e confecção de roupa de alta costura), Deyzes Pereira (fundadora da Startup Consulting), Filomena Matimbe (fundadora da Finana, marca e fábrica de processamento de farinha de banana) e Natacha Cabir (designer gráfica e criadora da Natacha Cabir, Lda), que, à semelhança de qualquer empreendedor bem sucedido, conseguiram, com perseverança, superar os desafios e obstáculos que enfrentaram no seu percurso. E foi exactamente o seu percurso, as suas experiências, bem como as estratégias adoptadas para vencer os obstáculos que as seis empreendedoras partilharam com as participantes, num ambiente descontraído, sem esteriótipos, no qual as mulheres partilharam um objectivo em comum: a vontade de singrar no mercado.

A fundadora e directora executiva da Lionesses of Africa, Melanie Hawken mostrou-se impressionada com as estórias partilhadas no evento, que, na sua opinião, são exemplo do quão aos mulheres são determinadas.

“São estórias que inspiram pois elas (as mulheres) falam do percurso até ao estágio em que se encontram actualmente”. Relativamente às participantes, que também tiveram espaço para falar dos seus sonhos e ambições, Melanie Hawken garantiu que as suas ideias têm potencial para vingar no mercado, que está cada vez mais exigente e competitivo.

Para o Standard Bank, o Lioness Lean in Breakfast afigura-se como uma forma de promover a igualdade de género pois proporciona condições para que as mulheres tenham as mesmas oportunidades que os homens e que ocupem o seu lugar no mundo dos negócios. Mais do que promover a igualdade de género, de acordo com a directora de Capital Humano do Standard Bank, Hélia Campos, o evento tem como objectivo “criar um espaço de interacção entre as mulheres e, sobretudo, consciencializá-las sobre as enormes oportunidades de crescimento que existem no mercado, tirando proveito da crescente evolução do empreendedorismo feminino”.

“As mulheres, quando responsáveis por gerar renda, investem prioritariamente na educação e na saúde da própria família. Este tipo de investimento vai repercutir directamente no desenvolvimento económico e social da comunidade e do País”, acrescentou Hélia Campos, referindo-se às vantagens do empoderamento da mulher. Para Maria Cuco, uma das oradoras, a partir das estórias partilhadas no Lioness Lean in Breakfast as participantes passam a ter noção do que podem ou vão encontrar no mercado, “o que é um passo para não cometer erros”.

“Eu, por exemplo, cometi vários erros durante o meu percurso, por isso vim aqui partilhar a minha estória para que elas não os cometam. Quero que a minha estória lhes ajude a melhorar o seu negócio”, realçou Maria Cuco, que apontou a inovação, o foco, a perseverança, bem como a informação sobre a área em que se pretende apostar como factores essenciais para singrar no mercado.

Entretanto, e porque para além das mulheres empreendedoras é necessário olhar e pensar nas futuras gerações, a sétima edição do Lioness Lean incluiu uma sessão dirigida às jovens estudantes universitárias que pretendem abraçar o empreendedorismo, denominada Young Lionesses.

A sessão foi muito concorrida e, apesar de muitas jovens participarem no evento desde a sua primeira edição, houve quem lá esteve pela primeira vez. É o caso de Nicerina Filipe, que trabalha como assistente numa empresa que se dedica à organização de eventos.

“Foi um evento interessante. Foi marcante, para mim, conhecer as estórias das empreendedoras que estiveram aqui como oradoras. Incentivaram-me mais a continuar a trabalhar para alavancar a nossa empresa, que é nova no mercado e precisa de clientes”.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!