Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Lenda do futebol italiano, Cesare Maldini morre aos 84 anos

O ex-jogador e ex-técnico da selecção da Itália Cesare Maldini, uma das maiores lendas do futebol do país e pai do também ex-defesa Paolo Maldini, morreu na noite de sábado, aos 84 anos, informou a família neste domingo em comunicado.

“Adeus a uma das bandeiras do futebol”, estampa na sua edição digital o jornal desportivo italiano “Gazzeta dello Sport”, que lembra a vida dedicada ao futebol de Maldini, desde os tempos de defesa do AC Milan à carreira de treinador da Itália, que comandou no Mundial de 1998, e do Paraguai, no Mundial de 2002. Uma trajectória vitoriosa que foi herdada pelo seu filho, Paolo Maldini, considerado um dos melhores defesas do mundo e um dos históricos capitães da selecção italiana assim como o seu pai.

Cesare Maldini nasceu em Trieste, no nordeste da Itália, no dia 5 de Fevereiro de 1932. Jogou pelo AC Milan entre 1954 e 1967, disputando 347 partidas e conquistando três Campeonatos Italianos. Com a camisa “rossonera”, o ex-defesa foi o responsável por levantar o título da Taça dos Clubes Campeões Europeus em 1963, o primeiro da história da antiga versão da Liga dos Campeões do futebol italiano, após vitória do AC Milan sobre o Benfica na Wembley.

Com a “Azzurra”, Cesare Maldini disputou 14 jogos, dois deles no Mundial de 1962, no Chile. Depois, assumiu a braçadeira de capitão da equipe até 1963.

A carreira como técnico começou no próprio AC Milan. Depois de começar actuando como assistente em 1970, Cesare Maldini assumiu o comando da equipe dois anos depois, levando os “rossoneros” à conquista de uma Taça da Itália e da Supertaça Europeia.

A aventura na selecção da Itália começou em 1982, também como assistente, quando a “Azzurra” levantou o tricampeonato. No entanto, Cesare só assumiu o comando da equipe 12 anos mais tarde, em 1996, quando foi técnico do próprio filho.

Em 1998, levou a equipe aos quartas de final do Mundial, sendo derrotado nos penáltis pela França, que levaria o título mais tarde.

Com 70 anos, depois de voltar ao AC Milan como director técnico, Cesare voltou ao banco de reservas para treinar o Paraguai no Mundial de 2002. A equipe chegou até aos oitavas de final, fase em que foi eliminada pela Alemanha.

“Deixou-nos um grande homem e protagonista absoluto do nosso futebol. Como jogador e depois como seu treinador, uniu seu nome de maneira indissolúvel à história da Itália”, afirmou o presidente da Federação Italiana de Futebol, Carlo Tavecchio.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!