Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Lançada primeira pedra para primeiro parque tecnológico

O Governo moçambicano lançou, quintafeira, a primeira pedra para a construção das infraestruturas básicas do primeiro Parque da Ciência e Tecnologia do país, localizado em Maluana, distrito de Manhiça, província de Maputo, Sul do país.

Os parques da Ciência e Tecnologia são facilidades concebidas no âmbito da Estratégia governamental na área da Ciência, Tecnologia e Inovação e constituem um espaço com infra-estruturas e serviços de gestão para o estabelecimento de empresas baseadas no conhecimento, instituições de investigação cientifica e desenvolvimento tecnológico e instituições de ensino.

A construção das primeiras infra-estruturas desta instituição, a estar localizada a 60 quilómetros Norte da capital do país, conta com o financiamento da Índia que vai desembolsar 25 milhões de dólares americanos para suportar os trabalhos desta primeira fase do projecto. Falando à imprensa momentos após o lançamento da primeira pedra, o Ministro moçambicano da Ciência e Tecnologia, Venâncio Massingue, disse que o montante será usado para a construção de infra-estruturas comuns básicas, como o edifício principal, vias de acesso, vedação, sistema de abastecimento de água, electricidade e telecomunicações.

“Os parques da Ciência e Tecnologia – que um dia iremos chamar cidades da Ciência e Tecnologia – constituem bons ambientes para promover e converter a ciência em produto. A Índia fez isso há 20 anos e tem resultados e nós pretendemos fazer isso hoje. A experiência da Índia foi boa”, disse Massingue.

No local, de acordo com o governante, também se pretende construir estabelecimentos de ensino e pesquisa (nas áreas da Agricultura, Ciências Marinhas e Saúde), incubadoras de pequenas e médias empresas e concentração de investimentos tanto local como estrangeiros. “Com o estabelecimento dos parques, pretendemos promover o desenvolvimento de novas ideias, bem como a sua transformação em produtos que possam ser colocados no mercado, promover a atracção de mais investimentos em área de desenvolvimento tecnológico, criar um ambiente no qual grandes empresas possam estabelecer centros de excelência ligados a universidades ou centros de investigação”, afirmou.

Segundo o Ministro, já existem instituições interessadas em se estabelecer no parque, mas espera-se atrair mais empresas (públicas e privadas) para este local onde poderão beneficiar de diversas facilidades, incluindo isenções fiscais no âmbito do novo Código de Benefícios Fiscais. Na sua intervenção, o Alto Comissário da Índia em Maputo, Ashok Amrohi, manifestou a prontidão do seu país na ajuda de Moçambique a lograr sucessos com o projecto.

Ele recordou que o seu país arrancou com iniciativas do género há 25 anos e agora já está a colher os seus benefícios. “Espero que o projecto tenha resultados não só para o país como um todo, mas também para as comunidades locais”, disse Amrohi. Com um total de 950 hectares, o parque de Maluana é o primeiro a ser construído dos quatro que o país pretende estabelecer. As obras terão uma duração de três anos, mas a sua primeira fase estará concluída dentro de 12 meses. O Banco Africano para o Desenvolvimento (BAD) financiou os trabalhos de planificação urbanística da área que compreende o projecto.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!