Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Lalaua reduz dependência económica

O Fundo de Desenvolvimento Distrital (FDD), alocado directamente à gestão dos distritos, está a trazer resultados animadores junto dos beneficiários no distrito de Lalaua. Esta situação reflecte-se nas comunidades locais, onde foram já criados mais de dois mil postos de trabalho, para além de reduzir a dependência económica em relação a cidade de Nampula, onde as populações eram forçadas a fazer a aquisição de produtos de primeira necessidade para o seu consumo diário.

O FDD em Lalaua, segundo a nossa reportagem constatou no terreno, impulsionou a capacidade da produção e produtividade agrícola consubstanciado num sinificativo crescimento das áreas de cultivo e conseque volume da produção.

Ao mesmo tempo, os sete “bis” propiciaram a criação naquele ponto da província de Nampula, pequenos provedores de serviços, tais como de fotocópias de documentos pessoais das comunidades que antes eram obrigadas a percorrer mais de 200 quilómetros e gastar o quíntuplo do valor pelo pagamento dos mesmos.

A nossa reportagem constatou, igualmente, que alguns mutuários que beneficiaram de parte deste fundo, instalaram pequenas oficinas de colagem de câmaras de ar e recauchutagem de pneus, actividade que apenas era possível fazer fora do distrito, criando, assim, uma classe de médios empresários locais.

Na comercialização, comprovamos que o Fundo de Desenvolvimento Distrital reduziu de forma assinalável o problema de falta de compradores dos excedentes agrícolas dos produtores, pois agora não dependem dos intervenientes provenientes da cidade de Nampula ou de outras regiões, razão pela qual a maior parte dos projectos financiados dedicam-se a este tipo de negócios.

Aliás, a grande preocupação de outrora das populações do distrito de Lalaua, maioritariamente agrícola, incidia sobre a vertente da comercialização, daí que se priorize o financiamento para a comercialização, defendem os membros do conselho consultivo distrital.

Como exemplo, indicam-nos que em 2009 foram financiados 43 projectos virados para a produção agrícola e 67 para a comercialização, enquanto no ano passado a agricultura teve 41 e 104 benificiaram a comercialização, o que demonstra a grande prioridade dos mutuários, beneficiários e as populações.

O FDD em Lalaua permitiu a um dos mutuários abrir um armazém onde comercializa produtos diversos, artigos electrodomésticos e motorizadas, cujos compradores na sua maioria provém do vizinhos distritos de Nipepe, na província do Niassa, e Namuno, em Cabo Delgado.

Informados sobre os benefícios proporcionados pelo FDD ao distrito de Lalaua, quisemos inteirar-nos acerca do actual cenário de reembolso dos fundos disponibilizados, ao que os membros do Conselho Consultivo Distrital afirmaramnos que o distrito está acima do nível nacional, ou seja, pelo menos em sete por cento dos valores desembolsados nos últimos dois anos, embora reconheçam que este volume de retorno, que se cifrou em pouco mais de dois milhões de meticais, seja ainda baixo.

Mas o que nos anima neste processo é que os projectos financiados existem e estão em execução, na sua maioria, por isso ainda não chegamos à fase de fazermos cobranças coercivas. Criamos em finais do ano passado uma comissão com objectivo de fazer o acompanhamento e a monitoria dos projectos financiados,procedimento que nos permitiu colectar em Janeiro último 274 mil Meticais, referiu o membro do conselho consultivo distrital, Manuel Nauacha Palhota.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!