Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

KUGOMA invade as salas e os becos de Maputo

KUGOMA invade as salas e os becos de Maputo

Decorre entre 17 e 27 de Julho em curso, na cidade de Maputo, a 5ª edição do Fórum de Cinema de Curta-Metragem – KUGOMA -, cuja cerimónia de abertura irá acontecer no Centro Cultural Franco-Moçambicano (CCFM), a partir das 18.30 horas, com a exibição do filme de ficção sul-africano, “Kanyekanye” ou mesmo “A linha”, do estudante de Cinematografia, Miklas Manneke.

Para este ano, os filmes serão exibidos em várias salas de cinema da cidade de Maputo, incluindo os bairros mais históricos da (nossa) metrópole, como, por exemplo, Mafalala, Hulene, Maxaquene, Xipamanine e Chamankulo, onde as mostras serão feitas ao ar livre ou em sítios alternativos.

No entanto, antes, mesmo, da inauguração do fórum, no dia 13, o Teatro Avenida acolhe, a partir das 14 horas, o evento de estreia da longa-metragem de animação brasileira, intitulada “Uma história antes da história”, produzido pelo Núcleo de Animação de Campinas e dirigido por Wilson Lazaretti.

Com entradas gratuitas, de acordo com os organizadores, o filme é para todas as idades, mas é especialmente para os mais pequenos. A peça mostra-nos a criação de um novo universo, de um menino e uma menina, que ao lado de outros personagens acompanharão Doutor K., numa sucessão de belas imagens em movimento.

Entretanto, no dia 17 – data da inauguração – será apresentado, em jeito de cine-concerto, o filme do americano, Winsor McCay, realizado em 1914, com as participações dos músicos Samito Tembe e Deodato Siquir, e dos actores Dias Santana e Horácio Mazuze. A obra chama-se “Gertie, o dinossauro”.

À semelhança das edições anteriores, este ano, o KUGOMA organiza, em parceria com o Festival Monstra, de Lisboa, uma série de oficinas em diferentes formatos e para deferentes idades. Para as crianças, os laboratórios serão feitas, nos dias 19 e 26, entre as 10.30 horas e as 13.30 horas, no Auditório do CCFM, e no dia 25, no Centro Cultural Ntsindya, no Xipamamnine.

Curtas-metragens nacionais

O KUGOMA exibe, como habitualmente, as curtas-metragens moçambicanas. Este ano, os realizadores Chico Carneiro, Natércia Chicane, Diovargildio Chaúque, a Associação Luarte e o argentino Fabian Ribezzo mostraram ao público dos bairros de Maputo, os seus mais recentes filmes. Estes cineastas estarão também numa mesa-redonda para dialogar sobre o cinema feito em Moçambique.

Por outro lado, o KUGOMA envia, pela primeira vez, uma selecção de filmes curtos para públicos infanto-juvenis, que vai viajar pelo país começando pelo Festival Mussoril Film Festival, e para países como Brasil e Guiné Equatorial. Dessa selecção fazem parte os filmes “Tatana”, de João Ribeiro, “Os Pestinhas e o Ladrão de Brinquedos”, de Nildo Essá, “Alface e Couve”, de Natércia Chicane, “Pathyma” de Luiz Chaves e “A capulana” de Adán Aliaga.

Exibição de filmes africanos

“Os filmes africanos de curta-metragem não são, como se pode pensar, desconhecidos e pouco divulgados. Eles viajam num circuito de festivais internacionais que os dão a conhecer a públicos de todos os continentes. Mas, infelizmente, eles são menos exibidos no local onde foram produzidos”. É olhando para este contexto que o KUGOMA traz extensões de dois festivais europeus de cinema africano, nomeadamente, o CINÉSUD, na França e AFRICA IN MOTION, na Escócia.

Para além desses programas, a curadoria do KUGOMA seleccionou, para o programa principal, uma série de filmes de jovens realizadores, que merecem destaque: o filme de abertura, “Kanyekanye”, as produções da Namíbia “Try”, “African Cowboy” e “Everything happens for a reason”, o mágico “Kwaku Ananse” do Gana e “Os meus sapatos” da Tunísia e “Le petit bonhomme de riz”, de Madagáscar.

Lançamento do DVD “José Cardoso”

Recuperar e dar a conhecer a obra do cineasta moçambicano, José Cardoso, tornando-a acessível a todos, é o objectivo inicial do DVD-Homenagem, que o KUGOMA irá lançar. Trata-se de uma trabalho desenvolvido em colaboração com o realizador e o técnico de som, Álvaro Simões, que fica agora concluído e será apresentado ao público no Instituto Nacional de Audiovisual e Cinema (INAC), no dia 21 de Julho, a partir das 14h00.

O trabalho inclui versões restauradas e digitalizadas dos três primeiros filmes de ficção do grupo Beira 64, intitulados “Anúncio”, “Raízes” e “Pesadelo”, realizados por José Cardoso; uma série de extras de contextualização e um livro com excertos de “Memórias de uma vida”, do autor, e a análise cinematográfica de Marilú João.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!